Fechar
BBB

Sucesso de Juliette é fruto de um delírio coletivo

compra da narrativa é algo nunca antes visto no BBB 21

REDAÇÃO do EM OFF

O grande sucesso da edição 21 do Big Brother Brasil não é… pasmem… o Big Brother Brasil, o programa, na verdade, é secundário se comparado a Juliette Freire.

Recorde absoluto nas redes sociais e dona de um engajamento comparado a celebridades de calibre mundial como Neymar, a paraibana já bateu a marca de 20 milhões de seguidores no Instagram no curto período de dois meses de reality.

Agora, cá entre nós, o que explica esse sucesso estrondoso? Alguns apontariam a perseguição do grupo de Karol Conka no começo do programa, outros, porém, diriam que o sucesso é fruto da personalidade forte e carismática da participante.

Nem um, nem outro. Na verdade, é impossível negar que tudo isso colaborou para o crescimento exponencial de Juliette Freire mas a maior válvula dessa engrenagem é, sem dúvidas, o monopólio da informação sobre o BBB 21.

Continua após a publicidade

Engana-se quem pensa que existe uma maneira justa de confrontar as páginas gigantes de fofoca no Instagram sobre o reality, é impossível, justamente porque a narrativa que eles passam atinge um número imensamente maior do que qualquer conta pequena seja do Twitter ou outra rede social.

Ou seja, com praticamente todas as contas de fofoca (soma-se a isso também artistas e subcelebridades desesperadas por engajamento) abraçando a ideia de Juliette campeã, o sucesso é consequência. A prova disso é que seus erros – vários, aliás – não são publicados lá, chegam em poucas pessoas e ficam restritos a uma bolha.

Juliette é produto de um marketing muito bem feito e não há nada de errado nisso. Bobo é quem compra a narrativa e se descabela pela moça nas redes sociais.