Fechar
Reality Show

BBB22: Eliezer sugere que Natália seja mau-caráter em conversa

Durante o almoço do anjo na tarde deste domingo (30), Eliezer admitiu ter medo da simpatia excessiva de Natália.

Lucas CardosoRepórter do EM OFF

Com a formação do segundo paredão da 22ª edição do Big Brother Brasil na noite deste domingo (30), os participantes Eliezer, Rodrigo, Lucas e Bárbara, aproveitaram o almoço do anjo para debaterem sobre estratégias de jogo e expuseram suas opiniões sobre os colegas de confinamento.

Eliezer, que nos últimos dias protagonizou cenas de romance com Maria, aproveitou o debate sobre o comportamento duvidoso de alguns colegas de confinamento e analisou a personalidade da sister Natália. Para o brother, a designer de unhas tem uma simpatia excessiva que chega até lhe causar medo.

“Eu acho a Natália MUITO simpática. Eu vou falar a minha visão, tá? Eu tenho medo de pessoas assim, porque quando a pessoa é MUITO agradável, MUITO simpática, e me questiono até que ponto aquilo ali é real, se realmente não tem nada por trás. Porque ela é muito educada, muito solicita. Se você parar para pensar, ela é a mais educada, a mais agradável, só que ela oscila muito”, comentou Eliezer.

“Tem dia que ela passa e fala comigo, tem dia que passa e não fala comigo. Mas assim, ela nunca fez para mim. Eu só observo. Acho que no futuro é uma pessoa que pode trazer problemas.”, finalizou o brother. Bárbara, que também já teve algumas desavenças com a sister, complementou a linha de raciocínio de Eliezer:

Continua após a publicidade

“Eu tô tentando não votar nela essa semana de novo, para não parecer perseguição, porque semana passada já votei nela. Mas, apesar de estar tudo bem agora, acredito que a longo prazo pode rolar uma treta, entende? Até por coisas que eu já ouvi ela falar para a Maria, eu já ouvi ela também falando para vocês que estava com ranço de mim”, disse a modelo.

Rodrigo, que até então, é aliado de Natália, concordou com os colegas: “Referente à ela, eu até questionei esse negócio de ‘futuramente pode dar problema’, porque nunca sabemos o dia de amanhã. Mas agora eu entendo. Ela oscila muito. Uma hora ela pode votar com você e outra hora ela pode votar contra você, só porque você abraçou uma pessoa que ela não gosta”, concluiu o gerente comercial.