Fechar
Cansada de brigar

BBB22: Jessilane se isola e chora após briga com Pedro Scooby

A professora não aguentou mais ficar discutindo e foi para o quarto grunge

Fábio SaraivaRepórter do EM OFF

Na tarde desta terça-feira (22), Jessilane Alves e Pedro Scooby discutiram. A professora de biologia preferiu encerrar o assunto com o surfista e saiu chorando casa adentro. Contudo, o rapaz afirmou que vai continuar respeitando e a tratando bem. Inicialmente, os dois tiveram um atrito no último jogo da discórdia (21). Ela recebeu dois colares de “não ganha” dele e de seu amigo Paulo André. 

“A Jessi que tá aqui dentro é a que atravessou a porta tá bom? Não é a que você criou na sua cabeça não”, exclamou a sister. Após a discussão com o surfista, Jessilane continuou chorando no quarto grunge. Sua solidão foi interrompida com a presença de Lina, que consolou a moça. Logo, Natália também entrou no cômodo e tentou ajudar a amiga. No entanto, a sister rejeitou o abraço da design de unhas. “Eu não gosto”, reclamou a bióloga.

Com Vyni entrando no quarto, Jessilane falou de Douglas Silva. “Eu disse que ele escondia o jogo porque ele dizia que não ia falar de jogo e uma semana depois estava falando”, apontou ela a hipocrisia do ator. Ela continuou: “Ele tá falando uma coisa e não está sendo coerente com aquilo. Por isso, eu disse que ele escondia o jogo. Como eu ataquei no DG nesse sentido sendo que, segundo o Pedro, ele me acolheu. Eu não posso fazer isso. A pessoa que me acolhe eu tenho responsabilidade com ela até o final do jogo”, desabafou.

Jessilane está com raiva de Scooby

Ouvindo o desabafo da amiga, Natália disse que quando alguém está errado tem que avisar. Jessilane reclamou que ela não pode falar, porque quando faz, ela vira influenciável.  Depois disso, ela comentou o colar que recebeu de Scooby. “Eu, Jessilane, não tenho maturidade emocional pra brigar sem chorar. As pessoas acham que chorar é uma coisa negativa e toda vez que eu choro eu perco a minha pose de bandida má e me torno a mina que só sabe chorar, que fica se tremendo toda quando as situações acontecem”, reclamou a professora. 

Continua após a publicidade

“Por isso eu evito discussões para que isso não aconteça, por isso eu prefiro me calar e sair, mas eu não aguento ficar sendo atacada por uma coisa que eu não acredito que eu fiz. Se eu tô sendo influenciável é a opinião dele! Mas ficar se justificando fazendo a mesma coisa dizendo que o Douglas me abraçou e que eu fiz outra coisa. Ele nunca me dá uma plaquinha dizendo ‘porque você fez isso e isso contra mim’, não, é sempre ‘Tô te dando um toque, porque DG te abraçou, não sei o que”. 

Fora do quarto, Pedro Scooby ficou indignado por Jessilane não ter concluído o diálogo direito e ter saído chorando pela casa. O surfista desabafou com Gustavo e Tiago: “Você nem escutou a opinião da pessoa sobre isso direito e depois você sai chorando? Cria um auê chorando sobre a parada, como querendo colocar a pessoa como uma escrota, te maltratando, e você fica num lugar de santa. É mais ou menos isso”, falou o surfista.

Ela não quer estar nessa posição

Com o fim da conversa entre as amigas, Natália pediu novamente um abraço para Jessilane, mas a professora negou. “Eu sempre fujo dessas coisas. Fico naquela posição que eu odeio ficar, que é que eu faço uma coisa. Todo mundo ouve meu lado e aí quando termina todo mundo vem ‘me dá aqui um abraço’. Parece que tá dizendo realmente… não quero sentir isso”. Jessi se sente atacada até mesmo com um acolhimento. Natália disparou um “Gente…”, sem acreditar no que ouviu.

Um pouco mais tarde, Pedro Scooby procurou Jessilane e disse que não quer ver a sister triste. “Eu não tô triste, eu tô com raiva”, falou na defensiva. Os dois retornaram a falar sobre o jogo da discórdia, relembraram outras situações do jogo. Cada um explicou de um jeito, e tentaram achar uma solução para se acertarem. Depois de um longo tempo de discussão, eles se abraçaram. E Jessi ficou no quarto grunge, chorando de raiva. No Twitter, “Respeita a professora” ficou entre os assuntos mais comentados da plataforma.