Fechar
EITA

BBB22: Linn da Quebrada afirma que Jade Picon tem ‘energia ruim’; assista

A cantora ironizou a crença de Jade, que costuma tapar o umbigo para não absorver “energias ruins”

Hanna HaikaRepórter do EM OFF

Um vídeo viralizou nesta tarde de terça-feira (15). Na gravação, Linn da Quebrada brinca com Natália, Jessilane e Lucas sobre energias. O trecho em questão ocorreu no quarto do líder na última noite de segunda-feira (14), antes da famigerada dinâmica do “Jogo da Discórdia”. Ao se arrumarem para a reunião de condomínio semanal, a cantora usou Jade Picon como exemplo para exemplificar a situação

“Às vezes a energia ruim pode tá na gente. Cê lembra o dia que a Jade tampou o umbigo e começou a inchar…”, afirmou aos risos. Os brothers presentes concordaram e caíram na gargalhada. Jade Picon ficou conhecida desde o início do programa por tampar o umbigo. O objetivo, segundo ela mesma, era impedir que “energias ruins” entrassem em seu corpo, pois na sua crença o umbigo é o canal que absorve as energias negativas.

Linn da Quebrada revela segredo de Arthur Aguiar

O Jogo da Discórdia mexeu com Laís Caldas na última noite, a médica ficou visivelmente abalada após confrontar Arthur Aguiar na dinâmica. Presente no quarto, após uma grande conversa com Eslovênia e Lucas Bissoli no gramado, Linn da Quebrada se aproximou da médica para conversar. Lina comentou sobre o discurso de Laís na dinâmica. “Voltar nos mesmos pontos, pontos que já foram batidos, pode se tornar delicado para quem traz esses pontos”, comentou a sister.

Laís discordou e afirmou que Arthur Aguiar faz o mesmo. “Ele bate nessa tecla também”, ponderou. “Mas não é porque ele faz que você precisa fazer também”, afirmou Lina. “Mas eu sinto necessidade de falar. Isso é uma forma dele manipular o público lá fora, foi o que eu falei. Ele não falou que adorava, jogava sozinho? A Jessi falou agora pra mim: “Laís, ele realmente falou isso’”, comentou a médica. 

Continua após a publicidade

Na última noite de segunda-feira, antes de iniciar a dinâmica, Arthur Aguiar e Linn da Quebrada tiveram uma conversa prévia sobre os últimos ganhadores das edições passadas que venceram o programa ‘jogando sozinhos’. A conversa virou pauta no Jogo da Discórdia, onde Laís apontou que Arthur utiliza do argumento para se favorecer no jogo e com o público. Sobre a situação de Arthur ter se comparado com Juliette e Dourado, as sisters opinaram.

“Ele não citou os dois favoritos [Juliette e Dourado]? Que jogavam sozinho com o público lá fora?”, perguntou Laís. “Pra mim ele citou o exemplo, mas não se comparou. Ele realmente falou que foi pra três paredões, mas não acho que necessariamente ele falou isso… Ele é manipulador de uma forma muito coerente nesse lugar. Ele sabe usar o que você trouxe, aí ele reagiu ao que você trouxe”, comentou a cantora. Continua após a publicidade

Ainda na conversa, Lina afirmou que Arthur manipula situações para que o público veja ele jogando sozinho e com isso, os telespectadores acabam criando empatia por sua situação. “Ele falou que joga sozinho sim. Acho que isso é uma maneira dele manipular as situações pro público ver ele jogando sozinho aqui dentro. Isso cria empatia. Mas não acho necessariamente que ele se comparou com fulano”, afirmou a atriz.

No entanto, Lina diz ter notado a estratégia de Arthur Aguiar para desestabilizar adversários. Ela explica que o ator, quando questionado por alguém, invés de responder, fica levantando pontos e falando “Onde está isso?” e outras perguntas, e com isso, a pessoa que está expondo ele, acaba se perdendo no raciocínio e sai prejudicado no final, como aconteceu com Laís Caldas.

 “Ele pergunta para que você tenha que falar mais uma vez uma coisa que você está falando. E ele fez isso comigo. ‘Onde está o acontecimento? Onde está não sei o que…’, porque daí ele não responde as coisas que a gente está questionando. Ele faz com que a gente se enrole, porque no desespero a gente abre mais portas do que damos conta de entrar. A gente abre uma porta para explicar uma coisa que não consegue ir direto no ponto. Ele pega um ponto e pede pra saber esse ponto, e aí quando a gente não consegue explicar esse ponto, a gente pega outro ponto para explicar a questão. E nisso pra quem ouve fica confuso para quem está tentando se explicar…”, observou e concluiu a conversa.