Fechar
Climão

BBB22: Rodrigo se incomoda ao falar sobre posicionamento político

O brother afirmou que sua opinião política não define seu caráter

Nayara VieiraRepórter do EM OFF

Rodrigo Mussi e Vinicius tiveram um conflito de opiniões dentro do BBB22 nesta quinta-feira (20). Enquanto conversavam no quarto, o influenciador comentou que dependendo da opinião política do engenheiro, ele se aproximaria dele ou não. O brother ainda destacou que fica com um “pé atrás” por não saber como é o comportamento do colega do lado de fora.

Porém, o paulista foi totalmente contra o pensamento de Vyni e afirmou que sim, depende do posicionamento político, para ele era algo essencial a se avaliar no caráter de alguém. “Eu não conheço lá fora, não sei qual a tua opinião política, por exemplo”, comentou o humorista. Sem gostar nem um pouco do comentário do cearense, Mussi afirmou que as pessoas não podem ser julgadas por suas opiniões políticas.

“A gente não pode contar com opinião política pra definir carater”, rebateu Rodrigo. Na sequência, Maria disse: “Aí depende… Joguei”. De imediato, a câmera saiu para outro cômodo, cortando a conversa. Antes mesmo do programa começar, os internautas já estavam com dúvidas se os participantes poderiam falar de política no programa, e houve boatos de que seria proibido. Todavia, Boninho alegou que o elenco poderia sim, falar nesse assunto dentro do BBB22.

Para esclarecer esse assunto, Boninho se pronunciou. “Depois de 21 anos de Big Brother, ainda existe muita teoria da conspiração. Estava vendo que conseguiram arrumar um manual sobre o que pode ou não pode falar na casa. Na verdade, eles podem falar o que eles quiserem. Podem falar de política, podem falar de qualquer outra marca. Eles podem falar sobre a vida deles e até besteiras. Isso é um problema deles. A gente nunca interfere com isso”, afirmou.

Continua após a publicidade

“Naqueles monitores que existem na casa que vocês, de vez em quando, conseguem ver não tem a palavra ‘mudar de assunto’. Porque mudar de assunto é um problema que eles têm que saber entre eles. Então o que temos é um painel informando quando eles precisam fazer alguma ação: trocar bateria, ir ao confessionário, ir à despensa”, completou o diretor do programa.

Ainda hoje, Rodrigo comoveu os colegas ao falar sobre sua história de vida. “Não sou um cara que romantiza pais, existem pais que são tóxicos. Meus pais são separados. Foi bem violenta minha infância ali entre os dois. Fui morar com minha mãe e ela me tocou de casa com 11 anos de idade. Depois fui morar com meu pai, mas já sabia que seria a segunda opção porque ele já tinha outra família e com 17 anos ele me tocou de casa e eu passei a morar sozinho”, começou.

Ele ainda compartilhou com os colegas como foi trágica a morte do pai. “Eu tento dar certo, de uma forma justa com as pessoas, mas eu não tenho pra onde ir. Eu não tenho opção de derrota […] Depois veio meu pai a falecer na minha frente, nos meus 24, 25 anos, quando ele estava se aproximando de mim”, lamentou.

Tags Relacionadas: