Fechar
Doloroso

Filho adotivo de Carol Nakamura e Guilherme Leonel, volta para mãe biológica

Com profunda dor e tristeza, o casal relatou que o Wallace de 12 anos tinha liberdade de escolha

Cíntia LimaColunista do EM OFF

Carol Nakamura e Guilherme Leonel usaram suas redes sociais e abriram o coração ao falarem de um assunto muito particular, delicado e doloroso. O casal contou que seu filho adotivo de 12 anos decidiu voltar para a mãe biológica.

Carol Nakamura e o marido, Guilherme Leonel, contaram em suas contas no Instagram que Wallace, de 12 anos voltou para a mãe biológica e a decisão partiu do próprio menino. O garoto estava vivendo com o casal enquanto aguardava a finalização do processo de adoção.

Na página, Guilherme faz um relato emocionante ao som da música de Tim Maia “Gostava tanto de você”.
Guilherme explica que veio a público contar o que aconteceu, devido a quantidade gigantesca de perguntas sobre Wallace. “Gostaria de pedir respeito, pois a dor do outro, nunca sabemos. E evito falar sobre, pois só eu sei o quanto isso me frustrou e tirou meu chão! Apesar de ser uma escolha dele, uma vontade dele (já tinha 12 anos quase), já escolhe o que quer. E, a partir do momento que o documento dele consta a mãe biológica, quem manda ou não, é a mesma”.

Ainda como forma de desabafo, é possível sentir a dor do casal, após essa decisão de Wallace. “Sempre falei que posso ter 5 filhos, mas nenhum me amaria como o Wallace, e eu amaria como amo o Wallace. O sentimento é que um pedaço de mim foi embora, e fica um vazio. Mas precisamos respeitar! Nem sempre o melhor para nós é o melhor para o outro.”

Continua após a publicidade

Carol também se pronunciou: “Sempre foi muito amado e ele tem consciência disso. Ele tem uma mãe biológica. Uma criança que cresce sem regra, é muito difícil… Por mais que você mostre os benefícios da educação, alfabetização, ter uma família, casa, oportunidades, o que ele não tinha antes, é complicado e decepcionante. Não estava acreditando que isso ia acontecer”. “Tive que respeitar a vontade dele. Wallace estava safado. Ele já tinha entendido que eu não tinha a guarda dele. Se a gente brigasse ou colocasse de castigo ou chamasse a atenção, ele queria ir para a casa da mãe. E se a mãe fizesse o mesmo, ele vinha para cá. E nisso, faltando na aula. Sem vergonha. A gente sempre sentou e conversou demais, mas infelizmente, foi isso. Já chorei, fiquei sem entender, mas não adianta. O que me resta é aceitar. É um assunto que me incomoda muito. Fiquei me perguntando: onde errei, o que fiz de errado?”

O garoto foi tirado do antigo maior lixão da América Latina, o do Jardim Gramacho, no Rio de Janeiro, no final de 2019 pelo casal. Os dois, até então, eram noivos. Com a pandemia, o processo de adoção foi pausado.

Wallace tomou essa decisão perante o juiz, e a vontade dele prevalece.

Veja post de Guilherme Leonel: