Fechar
Luta Diária

Franciely Freduzeski relata seu drama: “Não aguento mais sentir dor”

Atriz convive com este problema desde 2018

Cíntia LimaColunista do EM OFF

Aos 43 anos e afastada da TV há bom tempo, a atriz Franciely Freduzeski releva que vive um drama e que não aguenta mais sentir dores. 

A atriz usa sua rede social para dividir com seus seguidores sua rotina e a luta contra as dores permanentes que enfrente desde 2018.  Franciely foi diagnosticada com polineuropatia desmielinizante inflamatória crônica – doença autoimune que provoca dores no corpo, a chamada fibromialgia.

Segundo dados da Associação Brasileira de Reumatologia, a fibromialgia está presente em 3% da população brasileira. Além disso, de cada dez pacientes, sete a nove são mulheres, o que mostra como a Fibromialgia tem impactado a vida de centenas de mulheres ao longo de suas vidas. Muitas vezes confundida com dores simples por excesso de exercício, a fibromialgia é uma síndrome caracterizada por dores crônicas nos tendões e articulações, por pelo menos três meses.

Em sua postagem mais recente, a atriz usou fotos sensuais e uma legenda de música para reforçar o fato de que viver com dor é extremamente desgastante e difícil. A música escolhida, “Eu te amo, te amo, te amo”, de Roberto Carlos. 

Continua após a publicidade

Ao fim da letra da música, Franciely declara: “Tinha um bom tempo que eu não postava fotos sensuais, junto com uma letra de música. Hoje eu fiquei com mais dor e me permiti a sentir saudade também”.  No final usou as “hastags”, “vida” e “dor crônica”.

Franciely Freduzeski começou sua carreira em 1996. Como atriz começou na turma do Didi em 1999, atuou também na novela Laços de Família, O clone, América e participou de duas edições da “Fazenda”, a primeira e a quarta. Devido a sua beleza fez ensaio para Playboy em 2002. 

Longe dos holofotes desde 2018 após participar da novela “Orgulho e Paixão”, a atriz sofre com as dores fortes provocadas pela doença crônica. Com uma rotina de exercícios físicos, Franciely tenta superar as dores que a acompanham. “Fiquei bastante tempo traumatizada com a minha dor, com medo de tentar, tem dias que acordo quebrada, travada, dolorida, porém uso todas as forças para vencer os obstáculos da fibromialgia”. 

A ciência ainda não sabe ao certo a causa específica da doença, mas pacientes que possuem a condição, apresentam o nível de serotonina mais baixo, o que pode indicar mudanças constantes de humor, ansiedade e até mesmo depressão. São vários os artigos e estudos sobre a doença. 

Franciely Freduzeski costuma compartilhar seu drama, no intuito de ajudar outras pessoas que passam pelo mesmo problema e recebe em troca muito carinho, relatos semelhantes e incentivo. 

Veja postagem: