Fechar

EXCLUSIVO Juiz decidirá se Gustavo Lima terá que fazer teste de paternidade

Defesa do cantor entrou com contestação na justiça e apresentou provas que contradizem a versão apresentada pela genitora da requerente

Cíntia LimaColunista do EM OFF

O cantor Gustavo Lima é um dos maiores fenômenos da música e um dos artistas mais queridos do país. Toda a fama conquistada com muito trabalho, também traz situações que envolvem intimidade e notícias polêmicas. Diante de tanta visibilidade, Gustavo Lima está enfrentando na justiça um pedido de investigação de paternidade, onde a jovem alega que o cantor é pai de sua filha. Gustavo Lima entrou com uma contestação e sua defesa traz todos os argumentos nos autos. 

Esta semana a defesa de Gustavo Lima apresentou em detalhes vários pontos contraditórios em relação ao pedido de DNA que foi feito por Eloá Soares. Na alegação de Eloá, ela e Gustavo Lima teriam tido um breve relacionamento em setembro de 2004, pois frequentavam a mesma escola de música em Franca, interior de São Paulo. Em 22/06/2005 deu à luz a sua filha que está prestes a completar 17 anos. Percebendo semelhança física, Eloá procurou a assessoria do cantor e entrou com o pedido de reconhecimento de paternidade na justiça. 

Na época que tomou conhecimento desse fato, Gustavo Lima deu uma entrevista a Léo Dias e mostrou-se surpreso com toda essa história. 

Agora um novo capítulo dessa história já caminha para a decisão do juiz em relação a necessidade ou não do cantor fazer o exame de DNA. 

Continua após a publicidade

Nos autos, o processo de contestação movido pela defesa do cantor, esclarece que Gustavo Lima jamais cursou a escola de música mencionada por Eloá e reforça que as alegações (absurdas) da Requerente (Eloá) em sua petição inicial não correspondem com a verdade dos fatos, motivo pelo qual restam integralmente impugnadas.

Ainda nos autos, A defesa explica que Gustavo quando criança tentou seguir caminho no mundo da música sertaneja, contudo, em razão das dificuldades financeiras, até o ano de 2003, época em que o Requerido tinha 13 (treze) anos de idade, este jamais havia saído do Estado de Minas Gerais (tocava/cantava apenas nas cidades próximas ao Município de Presidente Olegário/MG).

Em meados de 2003, fez sua primeira viagem para Brasília/DF para tentar melhor sua sorte no meio musical.

Após algum tempo, voltou para a casa de seus pais no interior de Minas Gerais, decidido a desistir de sua carreira artística, mas foi convencido por um parente (primo) a fazer uma última tentativa, desta vez na cidade de Goiânia/GO.

Nesta cidade Gustavo Lima morou por anos, sem sequer viajar para visitar sua família, tendo em vista que não dispunha de condições financeiras para arcar com as despesas da viagem.

Somente em meados de 2008 a carreira o cantor começou a melhorar, passando a fazer pequenos shows em outras cidades e estados do país. Até essa época (2008), o Requerido jamais tinha visitado o Estado de São Paulo. Por consequência, até essa época, jamais tinha visitado a cidade de Franca/SP. 

No pedido de contestação também consta que Gustavo sequer conhece Eloá, que nunca a viu, nem conversou, seja pessoalmente ou ligação telefônica/ mensagem escrita. Nunca teve qualquer tipo de relacionamento. Vale ressaltar também que em 2004, Gustavo Lima tinha 14 anos e que obviamente não tinha idade e nem condições financeiras para morar sozinho em Franca/SP. 

A contestação também inclui declarações assinadas por ex-empresários e pessoas ligadas ao ramo artístico sertanejo, que conheceram a origem do Cantor, comprovando que ele jamais havia visitado a cidade de Franca/SP na época (ano 2004) do suposto relacionamento alegado pela genitora da Requerente e comprovando que ele jamais frequentou escolas de música, de forma que resta impossível a paternidade. 

Diante dessa nova etapa e com o pedido de contestação, Gustavo Lima aguarda a decisão da justiça. O Juiz definirá se Gustavo Lima terá ou não que fazer o exame de paternidade (DNA). 

Vamos aguardar.