Crime Brutal

Saiba o que esperar da série documental sobre a morte de Daniella Perez

Crime que causou comoção no país há 30 anos, será contado em série documental de 5 episódios na HBO Max

Cíntia Lima
Colunista do EM OFF

O caso envolvendo o assassinato brutal de Daniella Perez, filha da renomada e querida Gloria Perez, completa 30 anos neste ano de 2022. Com previsão de estreia em julho, a série documental produzida pela HBO Max, Pacto Brutal: O Assassinato de Daniella Perez”, vai tocar em temas sensíveis à sociedade brasileira com o objetivo de reconstruir o assassinato da atriz.

Segundo publicações da respeitada e competente, diretora Tatiana Issa, vencedora do Prêmio Emmy, a série é uma “empreitada por justiça”. A obra aborda temas importantíssimos, o machismo, problemas estruturais, feminicídio e a fragilidade das leis. 

“Essa série trata de tópicos importantes como feminicídio, a culpabilização da vítima, do circo midiático, dos detalhes do crime, mas, sobretudo, conta a história da luta de uma mãe, que mesmo depois de 30 anos, continua lutando como uma leoa”.

Um detalhe fundamental sobre a série é que este crime brutal que chocou o país é contado a partir da perspectiva da mãe de Daniella, a autora Gloria Perez, além de amigos e família. São vários os depoimentos: Claudia Raia, Marieta Severo, Wolf Maya, Maurício Mattar, entre outros, e Fábio Assunção que assim como Daniella Perez também integrava o elenco da novela De Corpo e Alma quando a atriz foi assassinada, em 1992. O documentário também contará com a participação especial do cantor Roberto Carlos. O Rei além de amigo de Gloria Perez, também cantou ao lado de Daniella em diferentes edições do tradicional Especial de Fim de Ano que a Rede Globo apresenta.

Tatiana Issa tem profunda admiração por Gloria Perez e sempre faz questão de agradecer a confiança que recebeu da novelista e de Raul Gazolla, marido de Daniella na época da morte.

Em postagem no mês de junho, “Pacto Brutal, o assassinato de Daniella Perez”, já está sendo apresentado em eventos de enorme prestígio, comemora a diretora, ao lado do diretor Guto Barra, que também assina o roteiro.  A série promete ser impactante e de profundas reflexões. 

Assassinato cruel 

A atriz Daniella Perez tinha 22 anos quando foi assassinada por Guilherme de Pádua, colega de elenco da novela De Corpo e Alma (novela de Glória Perez) e com quem fazia par romântico na trama. Guilherme contou com ajuda e participação de sua esposa grávida de 4 meses, Paula Thomaz. O corpo da atriz foi encontrado num matagal, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro, perfurado com dezoito golpes fatais de punhal, que causaram choque hemorrágico.

Os dois foram condenados por homicídio qualificado. (praticado por motivo torpe ou fútil, ou cometido com crueldade). Glória Perez foi a responsável por esta inclusão no código penal e nos crimes hediondos.