Fechar
Força

Vera Fischer precisou aprender a chorar para não ter câncer

Aos 70 anos Vera Fischer abriu o coração e relembrou um dos momentos mais difíceis de sua vida

Cíntia LimaColunista do EM OFF

Em entrevista ao jornalista Pedro Bial, a atriz Vera Fischer abriu o coração e relembrou um dos momentos mais difíceis de sua vida. A situação era muito triste, mas Vera não conseguia chorar e precisou aprender a colocar para fora sua dor, senão teria um câncer.

Entre muitos altos e baixos como qualquer pessoa, Vera Fischer que está com 70 anos, vive sob os holofotes desde muito nova. Miss Blumenau aos 17 anos, a atriz sempre esteve em foco. Seus romances, a dependência química, a cobrança em cima de sua filha Rafaela e suas atuações em novelas. Vera Fischer tem uma extensa carreira atuando e já foi presenteada pelo autor Manoel Carlos, ao viver uma de suas “Helenas”.

Na entrevista Vera relembra um de seus momentos mais difíceis e a primeira vez que precisou da ajuda de um analista, foi quando seu companheiro Perry Sales teve câncer terminal. A atriz montou uma UTI no escritório da casa para ele e contatou uma equipe para cuidar de sua saúde . O relato de Vera Fischer é forte e muito profundo.

“Eu não conseguia chorar e tinha que segurar todos. Na época fazia ‘Caminho das Índias’. Vinha da novela e corria para casa. Fazia piada, brincava… Aí começaram a nascer feridas no meu corpo. Minha imunidade baixou para zero. Tive uma ferida muito grande na boca que ia virar um câncer e tive que extirpar. Procurei uma analista que ela disse na primeira vez que fui: ‘Pode chorar, chora. Eu te dou permissão.’ Aí eu chorei desbragadamente todas as lágrimas de dor. Quando olhei, ela estava chorando.”

Continua após a publicidade

Seu desabafo é uma realidade que serve inclusive de alerta. Ouve-se muito que guardar a dor, não chorar, não colocar para fora as aflições, medos e desespero, pode sim causar doenças mais sérias e até irreversíveis.

No momento Vera Fischer está em cartaz com a peça “Quando for Mãe eu Quero Amar Desse Jeito”.