Fechar

EXCLUSIVO Filha de Ricardo Boechat processa empresa que contratou palestra do pai

Beatriz Andrade Boechat pede indenização de mais de R$ 11 milhões por danos morais e materiais

Erlan BastosColunista do EM OFF

Beatriz Andrade Boechat, filha do jornalista Ricardo Boechat, da Band e da BandNews FM, entrou com um pedido de indenização contra a Libbs Farmacêutica, empresa que contratou a palestra do comunicador no dia de sua morte, em 11 de fevereiro de 2019. Ela pede o pagamento de mais de R$ 11 milhões de reparação por danos morais e materiais, afirmando que a empresa não garantiu a segurança do pai, âncora do Jornal da Band.

De acordo com o texto que consta no processo, ao qual a coluna Erlan Bastos EM OFF teve acesso com exclusividade, Beatriz ressalta que é portadora de retardo mental moderado, apresentando quadro frequente de depressão e ansiedade, o que a impede de “exercer funções laborais triviais”. Além disso, ela alega que sempre dependeu da ajuda financeira do pai, que arcava com todos os seus custos e despesas.

Ainda no texto, Beatriz afirma que a empresa “descumpriu obrigação contratual específica de prover o transporte seguro” do jornalista, e por isso, “deve ser compelida ao pagamento de justa e expressiva indenização”. A Libbs foi a responsável por contratar a palestra realizada por Boechat em Campinas, em fevereiro de 2019, e também ficou responsável pelo transporte do comunicador.

No documento, Beatriz pede uma indenização por danos morais “decorrentes do falecimento precoce de Ricardo Boechat” no valor equivalente a 500 salários mínimos”, além de uma indenização também por danos materiais no valor de R$ 100 mil mensais, corresponde ao que seria o percentual destinado pelo pai à ela entre os meses de março de 2019 e março de 2028, quando o jornalista completaria 75 anos.

Continua após a publicidade

No total, Beatriz Andrade Boechat pede na Justiça o pagamento de uma indenização de mais de R$ 11 milhões. Para justificar o valor total da ação, a defesa de Beatriz afirma que “a Libbs figura, ainda, em segundo lugar no ranking das 20 empresas independentes fabricantes de medicamentos similares que mais faturaram em 2019, com faturamento superior a R$ 1 bilhão”.

Relembre

Na manhã do dia 11 de fevereiro de 2019, após apresentar o seu programa diário BandNews FM, o jornalista Ricardo Boechat onde embarcou no helicóptero de prefixo PTHPG, contratado pela Libbs, com destino ao Centro de Convenções do Hotel Royal Palm Plaza, na cidade de Campinas, interior de São Paulo, onde comandaria uma palestra.

Após o evento, o jornalista da Band voltou a embarcar na mesma aeronave, por volta das 13:45h, com destino à sede do Grupo Bandeirantes de Comunicação, em São Paulo. No entanto, o helicóptero que transportava o âncora do Jornal da Band enfrentou problemas técnicos, que levaram o piloto a realizar uma tentativa de pouso de emergência na Rodovia Anhanguera (SP 330).

A manobra pretendida pelo piloto acabou provocando o choque da aeronave com uma carreta, que trafegava pela pista de acesso à rodovia, próximo do entroncamento com o Rodoanel Mário Covas. Devido ao impacto, o helicóptero pegou fogo e ficou totalmente destruído. O jornalista Ricardo Boechat e o piloto, Ronaldo Quatrucci, morreram no local do acidente. (Colaborou Danilo Reenlsober)

Você usa TELEGRAM? Então entre no nosso canal e receba nossas notícias no seu celular.
Basta clicar aqui -> https://t.me/portalemoff