Fechar

EXCLUSIVO Rapper Orochi é acusado de agredir acompanhante de luxo

Assessoria do cantor confirmou encontro, mas disse que o artista está sendo vítima de extorsão

Erlan BastosColunista do EM OFF

O rapper Flávio Castro, conhecido nacionalmente como Orochi, está sendo acusado de agredir uma acompanhante de luxo durante um programa realizado numa boate localizada no Rio de Janeiro. A vítima diz ter ficado “abalada e com traumas” após o cantor ter realizado uma série de atos sexuais sem o seu consentimento. Exames demonstraram que a jovem teve lesões nas regiões perineal e anal. O famoso disse que é alvo de extorsão e que a jovem busca “vantagens financeiras“.

A coluna Erlan Bastos EM OFF teve acesso exclusivo ao depoimento da vítima. Ela disse à polícia que no dia 18 de agosto trabalhava numa boate localizada no bairro Recreio dos Bandeirantes, no Rio de Janeiro, quando foi abordada pelo cantor por volta das 2h30 da madrugada. A jovem afirmou que foi bem tratada pelo artista e aceitou ir para o quarto com ele. Foi só depois que o programa já tinha se iniciado é que o comportamento de Orochi se alterou.

A acompanhante afirmou em seu depoimento que iniciou o programa beijando o cantor, mas que ele começou a morder seus lábios com força. Ela pediu para ele ir mais devagar, mas, segundo a jovem, quanto mais calma ela pedia, mais agressivo ele ficava. Alguns minutos depois, com a acompanhante já nua, o cantor teria introduzido o dedo em seu órgão sexual sem seu consentimento.

A jovem o repreendeu e ele se desculpou, pedindo para que ela não parasse com o programa. Ela concordou e o programa continuou. No entanto, quando ambos iniciaram o ato sexual, Orochi teria dado um tapa no rosto da acompanhante, sendo repreendido novamente. No seu depoimento, a jovem disse que avisou que iria terminar com o programa caso se ele cometesse mais um ato agressivo.

Continua após a publicidade

Agressões

Foi após esse último aviso que o cantor teria iniciado uma série de tapas nas nádegas da vítima, que a deixaram machucada. A jovem pediu para que o famoso parasse, mas, ainda segundo ela, o cantor parecia ficar cada vez mais agressivo conforme a dor da vítima se intensificava. À polícia, a acompanhante disse que se sentiu mal com a violência do ato sexual.

Após o término do programa, a vítima mostrou as marcas das agressões para o famoso. No seu depoimento, a acompanhante relembrou a fala do cantor: “Vou deixar uma semana paga para você descansar, desculpe, me empolguei“. Além dos machucados nas nádegas devido aos tapas, a vítima também afirmou que ficou dias sem trabalhar devido às dores na região vaginal.

Um laudo médico realizado no dia 24 de agosto mostrou “lesões em processo cicatricial” nas regiões perineal (entre a vagina e o ânus) e anal. Alguns dias depois, a vítima passou por exame de corpo de delito e alegou que foi agredida com socos e mordidas, além de ter sido segurada pelos braços. Disse também que o cantor tentou praticar sexo anal, mas foi impedido. O exame mostrou um hematoma na coxa esquerda.

Defesa

O advogado Felipe Munhoz, que defende a acompanhante, disse que a jovem ficou muito abalada após o ocorrido, fez exames ginecológicos, precisou ser atendida por uma psiquiatra e desenvolveu um quadro de stress traumático. O profissional argumentou, ainda, que procurou pela assessoria de Orochi, que prometeu auxílio, mas passou a ignorar a vítima em seguida.

O ginecologista dela deu 15 dias de atestado para afastamento do trabalho de acompanhante e a médica psiquiatra deu 60 dias de afastamento. Logo após o episódio, ela buscou um dos assessores dele, que prometeu um auxilio pelo tempo que ela ficasse afastada, e depositou R$ 5 mil pra ela. Após isso, eles passaram a ignorá-la“, afirmou o advogado.

A acompanhante de luxo cobra de R$ 600 a R$ 3 mil por programa, dependendo do tipo de atividade desenvolvida. Munhoz ressaltou que a defesa vai entrar com um processo contra Orochi pedindo o ressarcimento do período em que a jovem precisou ficar afastada do trabalho devido às agressões realizadas pelo cantor. O boletim de ocorrência foi registrado como lesão corporal.

Procurada, a assessoria de imprensa de Orochi confirmou, por meio de nota, que o artista esteve com a acompanhante de luxo e comentou a denúncia de agressão. “A assessoria de imprensa do cantor Orochi confirma que o artista esteve com uma acompanhante de luxo, em agosto deste ano, em uma casa noturna, no Rio de Janeiro, e que de forma consensual teve relações sexuais“, diz o início do texto.

Desde então, o cantor vem sendo vítima de extorsão. Explicando-se os fatos, Orochi, dias depois da ida ao local, foi surpreendido com ameaças que alegavam uma suposta impossibilidade dessa mesma acompanhante de exercer o seu trabalho. Ao perceber que o real intuito das mensagens era a obtenção de vantagens financeiras, o músico prontamente acionou sua equipe jurídica. Por fim, o rapper aproveita ainda para informar que irá solucionar o caso legalmente“, finaliza a assessoria. (Colaborou Danilo Reenlsober)