se pronunciou

Após acusação de calote, Maria Lina mostra comprovantes e faculdade se retrata

Influenciadora provou para à FURB que ação de cobrança era indevida, pois sua dívida havia sido quitada há dois anos

Fábia Oliveira
Colunista do EM OFF

Após esta coluna noticiar, com exclusividade, que a influenciadora digital, Maria Lina Deggan, constava como réu em uma ação judicial de cobrança, movida por uma faculdade de Blumenau, em Santa Catarina, por conta de uma dívida em aberto de mais de R$ 6 mil, ela usou as redes sociais para se pronunciar sobre o assunto.

A acusação de calote (sim, esse é o termo popular usado para quem deve algo) que a instituição fez com ela, foi desmentida pela influencer. Maria afirmou que houve um erro da parte da universidade que, segundo ela, teria entrado com o processo de forma errônea, pois seu débito com a instituição já havia sido quitado em 2020, mas a mesma não havia reconhecido seu pagamento.

“É importante desmentir, falar a verdade. Nunca foi segredo nenhum que realmente sempre devi muito a faculdade. Não tenho nada contra quem deve por bolsa, sapato, mas eu nunca devi isso, sempre devi faculdade para estudar, para dar uma vida melhor para mim e para minha família. Queria ter um emprego melhor para quando tivesse um filho. Sempre pensei no futuro. Não tinha dinheiro, tentava bolsa, conseguia um pouco, conseguia financiamento, fazia dívida, renegociava… e as minhas dívidas de faculdade foram absolutamente todas pagas em 2020, não sobrou um centavo para eu pagar”, contou Maria.

Ela disse ainda que logo que tomou conhecimento sobre a ação judicial, através desta coluna, entrou em contato com a faculdade FURB, que a informou que de fato a dívida constava em seu sistema financeiro, porém, após enviar comprovantes de pagamento, a instituição acabou reconhecendo o erro e emitindo uma nota se retratando.

“Removeram a ação contra mim, que era uma ação indevida. Tudo certo e resolvido com a FURB. Fizeram uma nota esclarecendo a situação”, concluiu Maria Lina.

A FURB emitiu um comunicado de retratação: “A Procuradoria Geral da Universidade Regional de Blumenau (FURB) informa que a ex-aluna, Maria Lina Deggan, apresentou o comprovante de quitação do débito com a instituição, o que encerra a ação de cobrança movida pela universidade”, diz o comunicado.

A instituição ressalta ainda não ter envolvimento com o vazamento da informação sobre o processo na mídia. “O fato foi noticiado pela mídia, sem a participação da universidade, que adota várias medidas para negociação e renegociação de parcelas, e tem na ação judicial o último recurso para a cobrança dos valores devidos”.

Maria Lina havia se matriculado no curso de Engenharia Civil da FURB, em julho de 2017, mas só foi frequentar as aulas no primeiro semestre de 2018, deixando de pagar as mensalidades com vencimento nos meses de agosto a dezembro de 2017.

No processo, a instituição alega que apesar de a influencer não ter frequentado as aulas, os serviços foram prestados de maneira perfeita e contínua. Maria chegou, inclusive, a firmar o instrumento de confissão e novação de dívida em 27/07/2017 no valor original de R$ 4.388,42, a ser pago em 03 (três) parcelas. Com a inadimplência das parcelas, o saldo atualizado até o momento do ajuizamento da ação foi de R$ 6.700,66.