Fechar

EXCLUSIVO Após cancelar show, Maria Rita é cobrada na Justiça

Empresa alega que contratou a artista em 2013 para se apresentar em Vitória, no Espírito Santo

Fábia Oliveira EM OFF
Fábia OliveiraColunista do EM OFF

Após cancelar um show que estava programado para o dia 20 de agosto de 2013, na cidade de Vitória, no Espírito Santo, Maria Rita acabou sendo cobrada na Justiça. No evento em questão, a artista estava sendo divulgada para se apresentar no mesmo evento em que estaria Maria Gadu. “O show de Maria Gadu aconteceu normalmente, o que leva a entender que a cantora Maria Rita não compareceu por decisão própria”, alega a empresa na ação.

De acordo com a ação, naquela época, o show, que estava programado para acontecer no dia 20 de junho de 2013, foi remarcado para outra data: 23 de agosto. Na ocasião, a cantora chegou a enviar um comunicado, informando ao público que havia cancelado o show “Redescobrir” em Vitória.

Segundo o processo movido em 2014, a empresa Lima Produções está exigindo que Maria Rita, e a Camargue Produções, empresa que, segundo a contratante, foi quem intermediou a apresentação do show da cantora, devolvam os valores pagos. A empresa pede a devolução de R$ 100 mil, além de cobrar uma indenização por danos morais no valor de R$ 60 mil. Há, ainda, um pedido por perdas e danos, que incluem gastos com passagens aéreas.

Artista apresentou defesa

Continua após a publicidade

A cantora apresentou sua defesa. À Justiça — por meio de seu advogado —, ela explicou que o inadimplemento ocorreu primeiro por parte da contratante e que o pagamento não ocorreu dentro dos prazos. Dessa forma, alega a famosa, que estava ‘desobrigada’ de algumas obrigações.

Tanto a artista quanto a empresa que intermediou o show, afirmam que até a data programada do evento, 20 de junho de 2013, haviam concordado que os valores poderiam ser pagos até o dia 18, contudo, não tinham ainda recebido. No dia 19 de junho, o show foi cancelado por causa de manifestações na cidade.

Eles explicam que houve um aditivo no contrato, no qual a contratante deveria pagar mais de R$ 14 mil à cantora pelo cancelamento da primeira data do show. O depósito deveria ser feito até a data de 21 de agosto, o que não ocorreu.

A empresa Tribo Produções também foi acionada na ação. O valor da causa é de R$ 188.146,58, e ainda não saiu sentença.