Fechar
opinião

Ausência de Luciano protagoniza série de Zezé Di Camargo

Produção agrada, mas segunda voz deixa uma lacuna no enredo

Fábia Oliveira EM OFF
Fábia OliveiraColunista do EM OFF

A série ‘É o Amor: Família Camargo’ estreou na quinta-feira (9) e já é top 5 na Netflix Brasil. Pudera. Não é de hoje que o público acompanha com interesse a história dos Camargos, cujo enredo da vida real é mesmo digno de filme, série, reality… uma verdadeira e emocionante novela.

Os capítulos da vida da família sertaneja são conhecidos pelos brasileiros e estão bem representados na série, desde o sequestro do irmão Wellington Camargo até o conturbado divórcio de Zezé e Zilú Godoy.

O foco da série é, ou pretendia ser, a relação de Zezé Di Camargo e a filha Wanessa. A inegável identificação de pai e filha, inclusive, se materializou em um álbum gravado pelos dois. Contudo, o que realmente se destacou foi a ausência de Luciano Camargo nos cinco episódios da produção.

Que o irmão de Zezé não teria sua imagem vinculada à série documental já era anunciado, o que talvez seus produtores não esperavam é que a falta do segunda voz seria tão sentida.

Continua após a publicidade

A série não tenta, de maneira alguma, omitir o nome de Luciano. Na verdade, ele é mencionado frequentemente durante os episódios. Contudo, a tentativa de naturalizar o afastamento dos dois filhos de Francisco acabou por escancarar uma rusga entre os sertanejos. Não precisa ser muito atento para perceber que nas entrelinhas o clima entre os irmãos não é dos mais amigáveis. Afinal, se a relação dos dois ‘vai muito bem, obrigado’, a exemplo da ex-mulher Zilú, Luciano também poderia ter marcado presença na produção, não é mesmo?

Mas faltou. Luciano, involuntariamente, se fez mais presente na série do que muitos que ali estavam. A expectativa de vê-lo durante as cenas era seguida da frustração dos cortes que desviavam de sua aparição. Para os fãs de uma das maiores duplas do cenário sertanejo, certamente a série merecia um capítulo a mais.

Para esta colunista, a impressão que fica é a de que a dupla se mantém em memória e respeito à vontade do pai, Seu Francisco, falecido em novembro de 2020, que era contra o rompimento de Zezé Di Camargo e Luciano – opinião que também é relembrada durante a série.

Zezé não se priva de declarações que evidenciam o distanciamento, ainda que negue a separação definitiva da dupla. Na série, o primeira voz chega a dizer que sua relação com Luciano não é exemplo de união e compara sua história com a do irmão. “Não somos um exemplo de união. Eu ralei muito pra chegar onde cheguei, é uma conquista minha, que eu acho que veio antes dele. Eu tenho uma história muito maior pra contar do que ele”, declarou.

Há que se apreciar a sinceridade de Zezé Di Camargo, que seguiu à risca a proposta de um reality e não se censurou ao tocar em assuntos delicados da família. O sertanejo mostra seu lado pai, filho, irmão, namorado, ex-marido, humano. Quem assiste à série se depara com um Zezé emotivo, de opiniões firmes e declarações ácidas aos estômagos mais sensíveis.

Sem mais spoilers, ‘É o amor: Família Camargo’ é uma série digna da expectativa que criou até seu lançamento, tocando sem pudores nas polêmicas de bastidores que o grande público aguardava. Alô, Netflix! Uma segunda temporada com a presença de Luciano seria uma ótima forma de redimir o lamentável desfalque.