Fechar

EXCLUSIVO Carnaval: Darlin Ferrattry e Quitéria Chagas se estranham no Império

rainha da escola e a majestade dos ritmistas trocam confetes e serpentinas na frente das pessoas, mas nos bastidores a coisa muda de figura

Fábia Oliveira EM OFF
Fábia OliveiraColunista do EM OFF

Não convidem para dividir o mesmo camarote Darlin Ferrattry e Quitéria Chagas. Ainda mais se for na quadra do Império Serrano. A rainha da escola e a majestade dos ritmistas trocam confetes e serpentinas na frente das pessoas, mas nos bastidores a coisa muda de figura. Quitéria, que durante anos reinou à frente da bateria, só chama a mãe de Lexa de ‘rainha paga’ e detona o samba no pé de sua sucessora. Já Darlin finge que não liga, mas faz questão de abrir a carteira para ajudar seus súditos. O clima é ruim e a diretoria da verde e branco de Madureira tem tentado colocar panos quentes e unir as duas.

A coluna, então, foi conversar com as suas e entender o que está acontecendo. Darlin fez a egípcia e fingiu que não entendeu a pergunta. Só isso justificaria a resposta que a assessoria da rainha do Império enviou à coluna: “Meu amor pela escola e pela comunidade é indiscutível e estou muito empenhada junto à diretoria do Império. Estamos fazendo tudo para que o reizinho de Madureira volte ao grupo especial! Sou imensamente grata ao meu mestre Vitinho e ao presidente Sandro Avelar pelo carinho comigo”. Entendeu? A gente também não.

Ms depois que esta matéria foi publicada, a empresária finalmente entendeu do que se tratava e comentou sobre o assunto: “Quando me perguntaram sobre isso, eu realmente nao tinha entendido. Mas vamos lá… Eu estou em paz e sem querer guerra com ninguém. Se alguém acha que investir na arte e numa cultura tão rica como a do Império é depreciar, eu só lamento. Suei e trabalhei, e ainda trabalho muito, para poder ter uma conta bancaria confortável para chegar em uma escola de samba por completo. Chego com minha empresa, minha família, minha alma, meu coração e meus amigos. Ali é minha segunda casa e poder somar e dar esse auxilio ao Carnaval, que não passa por bons momentos, me faz sentir parte ativa de tudo. Sinto meu coração em paz em poder investir em algo que é popular e irá se reverter em social, arte, cultura e história pra nossa cidade e nosso povo”, disse a mãe de Lexa.

Quitéria, por sua vez, deu uma boa sabonetada: “Não tem disputa, não tem briga. Estou há mais de 20 anos na escola e não tem essa possibilidade. Eu embarco amanhã (hoje) pra Itália. Isso é exclusivo”. Esta colunista só se pergunta o que de diferente existe na água de Madureira… Porque não é possível…

Continua após a publicidade