Fechar
em tratamento

‘Caso bem delicado’, diz Rafael Ilha sobre dependência química de Sérgio Hondjakoff

O ator está em tratamento no Instituto de Dependência Química de Sorocaba

Fábia Oliveira EM OFF
Fábia OliveiraColunista do EM OFF

Rafael Ilha tem sido uma das ajudas de Sérgio Hondjakoff na luta contra as drogas. O ex-Polegar revelou que, após uma longa conversa por telefone, conseguiu convencer o ator a dar entrada no Instituto de Dependência Química de Sorocaba, onde está internado desde o último sábado (11). Em entrevista para o site ‘Na Telinha’, o ex-Fazenda contou alguns detalhes sobre a situação do eterno ‘Cabeção’ de ‘Malhação’.

“Depois que vi o vídeo que viralizou, no mesmo momento me comovi, não só pelo que ele estava passando, que eu já vivi, mas também pela família, a dona Carmem e seu Francisco estarem vivendo aquela situação terrível. Entrei em contato com alguns conhecidos para achar um bom tratamento, numa boa clínica e pelo tempo que fosse necessário para ele concluir o tratamento, não uma coisa já estipulada”, disse Rafael Ilha.

O ex-Polegar também revelou que o caso de dependência de Sérgio Hondjakoff é bastante complicado. “Ele usa cocaína, crack, usa remédio para dormir, para acordar, ele bebe bastante, é um caso bem delicado e que precisa de uma boa equipe para acompanhar e de um bom tempo também. Foi uma das coisas que me fizeram indicar o Instituto para a família, foi que eu exigi da clínica que não tivesse um tempo pré-determinado”, contou ao ‘Na Telinha’.

Ainda na entrevista, Ilha disse que os pais do ator também receberão apoio. “Ele ameaçava muito os pais, mas graças a Deus nunca chegou aos finalmentes. A agressão dele era verbal e de quebrar as coisas, dessa vez, neste vídeo que ele estava trancado há oito dias, ele quebrou o apartamento inteiro, mesa, cadeira, espelho, tudo o que tinha dentro de casa. Foi bom essa internação para ele, preserva o bem-estar dele, a família fica mais tranquila de saber que ele está numa clínica especializada e que está tratando ele com o maior carinho e e respeito”, falou.

Continua após a publicidade

Além de Rafael Ilha, os atores Bruno Gagliasso e Kayke Britto também ofereceram apoio a Serginho, que está sendo acompanhado por Sandro Barros, especialista terapêutico em ‘In-Dependência Química’. Nas redes sociais do profissionais, vídeos dos rapazes dando forças ao amigo foram publicados.

“Fala, Serginho. Quanto tempo, hein, meu amigo? Aqui é o Bruninho, que você conhece há anos. Estamos afastados, mas estou muito feliz de saber que você encontrou com o nosso amigo Sandro. Ele é um cara que já ajudou muito a minha família e estará ao seu lado para o que der e vier, assim como eu também estarei. Fechado? É difícil, mas não é impossível. Um beijo e estamos juntos, cara. Ninguém vai largar a sua mão não“, falou Bruno Gagliasso no vídeo.

O nome de Sérgio Hondjakoff ganhou destaque nos noticiários na semana passada, após um vídeo que circulou nas redes sociais. As imagens mostram o ator em um momento de surto. Na ocasião, ele chega a ameaçar matar o próprio pai com um bastão, depois de não receber uma quantia em dinheiro que queria.

“Fala, galera, beleza? Eu tô aqui pancadão e tá todo mundo aqui querendo me foder. Estou pedindo mil reais para o meu pai pra ir pra São Paulo e ele não quer me dar. Eles querem que eu seja internado contra a minha vontade porque eu dei uns ‘tequinhos’ e eu fico muito louco”, disse o artista no vídeo, gravado por ele mesmo em uma live no Instagram.

Na sequência, Sérgio Hondjakoff mostra o bastão em mãos. “Pai, se você não me der mil reais, eu vou ser obrigado a te matar, né? Você prefere me dar mil reais ou que eu te mate? Você é obrigado a me dar mil reais”, declarou ele, enquanto Francisco se esconde da câmera.

O momento vivido pelo ator agitou as redes sociais. Diversos internautas comentaram e lamentaram a situação. “Um rapaz tão talentoso, uma pena que tenha perdido para as drogas desse jeito. Muito triste”, disse uma internauta. “Muito triste o que o vício faz com a pessoa. Mais triste ainda é ver o pai tentando ajudar e ainda tendo que lidar com isso”, comentou outra. “Gente, dependência química é uma doença! Não é ele falando e sim a falta de droga. Não podemos perder nossa humanidade. Ele precisa de ajuda profissional”, escreveu um rapaz.