Fechar

EXCLUSIVO Consumidor cai em golpe e aciona Rafa Kalimann e mais de 10 famosos na Justiça

Artistas são acusados de propaganda enganosa e contestam

Fábia Oliveira EM OFF
Fábia OliveiraColunista do EM OFF

MC Mirella, MC Kekel, MC Guimê, Dynho Alves, Jojo Todynho, Flavia Viana, Gleici Damasceno, Mileide Mihaile, Cleo, Juliana Paiva, Carla Diaz, Rafa Kalimann, Luísa Sonza, entre outros famosos, viraram réus em uma mesma ação judicial, que tramita na 4ª Vara Cível da Comarca de Campos dos Goytacazes, no Rio de Janeiro. O autor do processo, Leonardo Timossi Ferreira requer uma indenização por danos morais e materiais, alegando ter adquirido aparelhos celulares por meio de propaganda enganosa realizada pelos artistas citados, em suas respectivas redes sociais.

Segundo Leonardo, os produtos comprados através da empresa MS Shoes Acessórios nunca foram entregues. Ele narra ainda que, em 23 de maio de 2018, viu as propagandas nas redes sociais dos famosos e se interessou pelos Iphones e produtos da marca Apple que, na ocasião, estavam com preços atraentes e confiáveis, já que foram divulgados por pessoas públicas. Logo de cara, após realizar o pagamento dos produtos, Leonardo afirma ter sido informado que o prazo para entrega dos produtos teria de ser estendido.

O autor da ação sustenta que as celebridades acima citadas fizeram a propaganda para a empresa sem ates confirmar a credibilidade e a confiabilidade da mesma. Dessa forma, por terem feito a propaganda dos produtos, devem responder solidariamente todos aqueles que participaram de alguma maneira da publicidade e tiveram vantagem com isso.

O valor da compra foi no montante de R$ 2,2 mil. Leonardo Timossi Ferreira que ser restituído em dobro pelo prejuízo sofrido, no montante de R$4,4 mil, somado ao valor de R$20 mil pelos danos morais sofridos.
 
MC Mirella já se manifestou na ação e realizou sua contestação, alegando que fez a propaganda da MS Shoes apenas até tomar conhecimento do histórico problemático e fraudulento da empresa. Narra ainda que, assim que tomou ciência da má-fé dos envolvidos, de por encerrada qualquer atividade de divulgação, além de ter registrado um boletim de ocorrência denunciando as práticas ilícitas da MS, já que a própria Mirella afirma ter sido vítima do golpe aplicado, uma vez que a propaganda enganosa poderia destruir sua carreira como influenciadora digital.

Continua após a publicidade

Além disso, a funkeira alega que quando fechou o contrato comercial não existiam ocorrências sobre a empresa nos sites de reclamação disponíveis ao grande público ou qualquer ação judicial que permitisse identificar o caráter irregular da mesma. Sendo assim, ela sustenta que não tinha como tomar conhecimento do histórico negativo e da má-fé da empresa antes de fechar negócio.

Rafa Kalimann também se manifestou, alegando que não deveria figurar como ré no processo, visto que não teria contribuído com os atos ilícitos praticados pela empresa. A responsabilidade, na prática, seria apenas do fabricante ou prestador dos serviços, não se estendendo àquele que apenas os anuncia e os comunica. Além disso, a apresentadora alega que figurar como ré na ação estaria sendo extremamente prejudicial, devido aos reflexos negativos em seus trabalhos publicitários.
 
O cantor Dynho Alves foi outro que apresentou sua contestação, alegando que foi contratado pela MS Shoes para divulgar um sorteio de aparelhos celulares. Ele diz que não teria motivo para ser réu na ação, pois não teria feito qualquer menção à qualidade na prestação dos serviços ou a respeito da confiabilidade da empresa. Ele argumenta ainda que a compra teria sido feita por Leonardo em 23 de maio de 2018, um mês antes da divulgação realizada por ele em suas redes sociais. Dessa forma, o ex-Fazenda alega que Leonardo teria feito a compra influenciado por outros artistas, não por ele.

Os demais famosos envolvidos ainda não apresentaram suas respectivas contestações.