Fechar
Muitas críticas

Ex-jogadora de vôlei é detonada por comentários transfóbicos

Ana Paula Henkel critica a vitória de uma nadadora trans em uma competição nos Estados Unidos e volta a entrar no olho do furacão nas redes sociais

Fábia Oliveira EM OFF
Fábia OliveiraColunista do EM OFF

Medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de 1996, em Atlanta, nos Estados Unidos, Ana Paula Henkel voltou a receber várias críticas na redes sociais. Tudo por conta de comentários sobre a vitória de Lia Thomas, uma nadadora trans, em uma liga universitária americana no último final de semana. A vitória não foi assunto por lá, mas a ex-jogadora fez questão de opinar e se posicionar contra a conquista da atleta.

“Lia Thomas, atleta trans e a nova “campeã” de natação da liga universitária dos EUA. Sua genética masculina desclassificou meninas, bateu recordes e recebeu troféus no esporte feminino. Respeito como as pessoas escolhem viver suas vidas, mas jamais aplaudirei isso no esporte”, começou Ana Paula, que não parou por aí.

“Eu respeito as decisões das pessoas. Não me interessa com quem elas se relacionam. Sejam felizes. Mas algumas decisões não trazem direitos automáticos. No esporte há XX e XY. Masculino e feminino. Não há “gênero”. O esporte não tem nenhum pilar em identidade social. Só biológica”, completou.

Ana Paula, que no ano passado foi acusada de espalhar fake news contra a Covida-19 aplicadas nos Estados Unidos, acabou sendo detonada pelos comentários transfóbicos.”Saia do esporte, Flor. Fará muito bem ao ar que respiramos. Essa gente que só consegue aparecer com polêmica, exala um ar fétido de inveja, recalque e preconceito. O público merece coisa melhor do que post de gente frustrada e amarga. Viva a diversidade e a inclusão”, escreveu uma internauta.

Continua após a publicidade

Um segundo seguidor sugeriu Ana Paula ficasse calada: “Nossa, era melhor ter ficado calada. Competência é algo que você nunca deve ter ouvido falar na sua vida e respeito é bom”. O terceiro colocou mais fogo na lenha e completou: O choro da preconceituosa!!!

Mas, algumas pessoas concordaram com os argumentos de Ana Paula e a polêmica foi estabelecida. “Inadmissível! A atleta mulher se esforça treinar dentro de sua capacidade biológicamente, como fêmea, para competir com outras mulheres e um homem “fake” entra na competição e quer ser igualmente tratado como mulher”, comentou um internauta.

Conhecida por seus pocionamentos alinhados ao do presidente Jair Bolsonaro (PL), Ana Paula mora nos Estados Unidos e já foi acusada de homofobia pelo assessor de imprensa Alexandre Alvim, em 2020. De acordo com o assessor, a ex-atleta respondeu a um stories do Instagram em que ele postou a música “Black Parade”, da cantora Beyoncé e que fala da luta contra o racismo. Na mensagem a ex-jogadora disse que ele era uma ‘bicha’ muito ‘brega’ e que se achava ‘linda’.

.