Fechar
caso amber heard e johnny depp

Ex-mulher terá que pagar a Johnny Depp 71 milhões de reais

O julgamento envolvendo o ex-casal chegou ao fim nesta quarta-feira (1)

Fábia Oliveira EM OFF
Fábia OliveiraColunista do EM OFF

O julgamento envolvendo o ex-casal Amber Heard e Johnny Depp chegou ao fim na tarde desta quarta-feira (1). O tribunal do júri do Condado de Fairfax, no Estado norte-americano da Virgínia, condenou os dois por difamação. Porém, a atriz terá que pagar para o ex-marido uma bagatela de U$$ 15 milhões, o equivalente à 71 milhões de reais.

Os valores são referentes à US$ 10 milhões em danos compensatórios e US$ 5 milhões em danos punitivos. Já Johnny Depp deverá pagar US$ 2 milhões para Amber Heard, apenas por danos compensatórios.

Depp processou Heard, sua ex-mulher, por difamação após ela escrever um editorial, em 2018, para o ‘The Washington Post’, no qual dizia que era uma “figura pública que representa o abuso doméstico”. Embora o ator não tenha sido citado no artigo, ele afirma que isso lhe custou papéis lucrativos de atuação.

Amber também processou Johnny Depp por difamação, após declarações do advogado do ex. A atriz apontou três pontos das declarações do profissional, mas o júri só concordou com uma delas. Nos processos, o ator de ‘Piratas do Caribe’ pediu US$ 50 milhões em danos e Amber Heard pediu US$ 100 milhões.

Continua após a publicidade

Johnny Depp não estava presente no tribunal e assistiu à decisão por vídeo, da Inglaterra, onde está para fazer um show com Jeff Beck. Momentos depois do julgamento, ele usou o Instagram para se pronunciar. “Depois de seis anos, os jurados devolveram a minha vida. Desde o início, o objetivo de trazer este caso era revelar a verdade, independentemente do resultado. Falar a verdade era algo que eu devia aos meus filhos e a todos aqueles que permaneceram firmes em meu apoio”, disse ele.

Depp acrescentou: “Estou, e tenho sido, dominado pela manifestação de amor e colossal apoio e bondade de todo o mundo. Espero que minha busca para que a verdade seja dita tenha ajudado outros, homens ou mulheres, que se encontraram na minha situação, e que aqueles que os apoiam nunca desistam. Também espero que a posição agora volte a ser inocente até que se prove o contrário, tanto nos tribunais quanto na mídia”.

Amber, que presenciou a decisão, também se manifestou após o veredito e se mostrou decepcionada. “A decepção que sinto hoje vai além das palavras. Estou com o coração partido que a montanha de evidências ainda não foi suficiente para resistir ao poder e influência desproporcionais de meu ex-marido”, começou.

Ela continuou: “Estou ainda mais desapontada com o que esse veredicto significa para outras mulheres. “É um retrocesso. Atrasa o tempo em que uma mulher que se manifestou poderia ser publicamente envergonhada e humilhada. Atrasa a ideia de que a violência contra as mulheres deve ser levada a sério”, disse ela que finalizou:

“Acredito que os advogados de Johnny conseguiram fazer com que o júri ignorasse a questão-chave da liberdade de expressão e ignorasse evidências tão conclusivas de que vencemos no Reino Unido. Estou triste por ter perdido este caso. Mas estou ainda mais triste por ter perdido um direito que pensava ter como americano – de falar livre e abertamente”.