Fechar

EXCLUSIVO Felipe Neto tem primeira derrota em ação contra deputada federal que o xingou

Justiça julgou improcedente os pedidos do youtuber.

Fábia Oliveira EM OFF
Fábia OliveiraColunista do EM OFF

Felipe Neto acaba de sofrer sua primeira derrota no processo que moveu contra a deputada federal Aline Sleutjes. Em sentença expedida no último dia 11, a Justiça julgou improcedente os pedidos do youtuber, que foram formulados em sua petição inicial. Felipe entrou com ação após Aline chamá-lo publicamente de ‘calhorda, maníaco, destruidor de inocentes, educação, respeito e família’.

Na decisão, ficou entendido que a manifestação de opinião chula ou excessiva não é suficiente para caracterizar uma ofensa de cunho moral. Aline teria agido com exercício regular do direito da liberdade de expressão, sem ultrapassar as fronteiras do que permite a Constituição Federal. A Justiça argumentou ainda que ninguém é obrigado a gostar ou concordar com os conteúdos divulgados por Felipe Neto, bem como ninguém é obrigado a entender que seja bom deixar os filhos seguirem o youtuber.

Em relação à acusação de que Aline estaria endossando as acusações de pedofilia contra Neto, o magistrado Mario Cunha Olinto Filho entendeu que o mesmo não ocorreu, visto que em momento algum Aline teria feito afirmações nesse sentido. Felipe ainda não se manifestou sobre a sentença e pode recorrer contra a decisão.

Além das palavras ofensivas que usou contra Felipe Neto, Aline ainda juntou um vídeo feito pela youtuber e Antônia Fontenele, no qual a influenciadora digital fazia comentários agressivos a respeito de Felipe e associava os irmãos Neto, Felipe e Luccas, ao crime de pedofilia. Os advogados de Felipe sustentam que Aline teria feito muito mais do que apenas criticar a figura do influenciador, tendo uma intenção clara de ofendê-lo e calunia-lo.

Continua após a publicidade

Alegam ainda que o potencial de propagação das acusações feitas pela deputada seria enorme, visto que a mesma possui uma exposição pública considerável e apenas no Twitter já possuía mais de 40 mil seguidores. Aline teria se aproveitado de uma onda de fake news envolvendo o nome de Felipe Neto e acusações de pedofilia para tornar ainda mais públicas e graves as acusações que tinha a fazer.

A defesa de Felipe solicitou, por meio de Tutela de Urgência, para que fosse determinada a retirada imediata das postagens do ar, no Twitter dela, sob pena de multa de R$1 mil. Pediu ainda a condenação de Aline a fazer uma retratação pública, nos mesmos espaços em que foram propagadas as ofensas, pelo mesmo período de tempo em que as mesmas ficaram disponíveis. Houve ainda um pedido de indenização por danos morais no valor de R$100 mil, e o pagamento das custas processuais e dos honorários advocatícios.
 
 
Aline Sleutjes se apresentou no processo por meio de sua contestação e sustentou a inépcia (fraqueza) da Petição Inicial apresentada pelo advogado de Felipe, afirmando que a narrativa era simulada e não demonstrava qualquer nexo de causalidade entre os fatos e os pedidos. Alegou-se ainda que Aline não tinha ligação alguma com a onda de fake News envolvendo o youtuber, e que tais episódios seriam completamente desconexos com a postura da deputada.

Os advogados da deputada afirmaram também que Felipe Neto teria formulado o pedido de danos morais sem demonstrar qualquer dano sofrido. Na verdade, o youtuber teria falhado, segundo Aline, em comprovar que as posturas da deputada lhe causaram graves consequências. Em relação ao pedido de Tutela de Urgência, foi informado que a publicação principal com as ofensas já teria sido retirada do ar.

Aline afirmou não ter causado qualquer dano ou prejuízo à imagem de Felipe ou à sua honra, tendo apenas defendido o que acreditava. A deputada federal ainda acusa Felipe Neto de estar “buscando um palco para aparecer”, querendo criar uma nova polêmica envolvendo o seu nome para permanecer relevante. Ela ainda chamou a atenção para o fato de que Felipe Neto é uma figura pública, estando muito mais sujeito à críticas.

Print (Reprodução)
Print (Reprodução)