Fechar
tragédia

Filha do piloto diz que vai processar companhia de energia elétrica

‘Se tivesse sinalização, tudo poderia ser diferente’, disse Vitória

Fábia Oliveira EM OFF
Fábia OliveiraColunista do EM OFF

Vitória Medeiros, a filha do piloto Geraldo Medeiros, que levava Marília Mendonça e parte da sua equipe para um show em Minas Gerais quando o avião caiu, disse que vai processar a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig). “Se tivesse sinalização, tudo poderia ser diferente e isso vai ser importante principalmente para proteger a vida de outras pessoas caso haja uma emergência”, disse a jovem, de 19 anos.

O avião que o pai dela pilotava atingiu um cabo de uma torre de distribuição da empresa em  Caratinga, no Vale do Rio Doce, antes de cair. Faltavam apenas quatro quilômetros para a aeronave chegar ao aeroporto. As cinco pessoas a bordo do avião – Marília, o tio dela, um produtor, o piloto e o co-piloto – morreram.

Por meio de nota, a Cemig argumentou que a sinalização por meio de esferas na cor laranja é exigida para torres em situações específicas, entre elas estar dentro de uma zona de proteção de aeródromos, o que não é o caso da torre atingida pelo avião que transportava a cantora: “Reiteramos que a Cemig segue rigorosamente as Normas Técnicas Brasileiras e a regulamentação em vigor em todos os seus projeto”, diz o texto. 

Continua após a publicidade

Você usa TELEGRAM? Então entre no nosso canal e receba nossas notícias no seu celular.
Basta clicar aqui -> https://t.me/portalemoff