Fechar
opinião

Fiscais de luto: o mais novo fenômeno tóxico da internet

Fenômeno estapafúrdio que emergiu com a recente comoção nacional pela perda da brilhante Marília Mendonça

Fábia Oliveira EM OFF
Fábia OliveiraColunista do EM OFF

Minha avó dizia que “de boas intenções o inferno está cheio”, isso porque ela não conhecia a internet. A mais nova modalidade nas redes sociais é o ‘Fiscal de luto’, um fenômeno estapafúrdio que emergiu com a recente comoção nacional pela perda da brilhante Marília Mendonça.

Artistas e amigos da cantora vêm sendo alvo de críticas pela maneira como estão manifestando sua dor diante dessa fatalidade. Os julgamentos começaram já no velório de Marília, quando a ausência de alguns famosos na cerimônia foi duramente criticada nas redes. O cantor Cristiano, parceiro de Zé Neto, usou o Instagram da dupla para rebater aos ataques recebidos e lembrar que ele estava, sim, presente no velório da amiga. O sertanejo Rodolffo também se manifestou justificando a ausência por questões de logística – ele e Israel estavam em alto mar, para um show que a dupla realizaria em um navio.

Como eles, vários outros sertanejos tiveram seu carinho e respeito pela cantora colocados em dúvida, pelo fato de não estarem presentes na última despedida – uma decisão estritamente pessoal, para a qual não cabem julgamentos.

Os maldosos de plantão não pouparam nem mesmo Maiara, que esteve ao lado de Marília em vida e na morte. Firme, forte e junto da irmã Maraísa, acompanhou o caixão da amiga até os últimos instantes. Mas como é difícil agradar aos Fiscais de luto, não é mesmo? Maiara também foi alvo das críticas cruéis sobre sua postura durante o velório.

Continua após a publicidade

Maraísa usou as redes sociais para defender a irmã. ‘A Maiara não estava no automático! Minha irmã é a mulher mais foda que eu conheço! Ela sabia que ali só estava o corpo da Marília! Porque o que vive é o sentimento dentro do seu coração! Minha irmã ama a Marília com todas as forças que alguém pode amar! Calem a boca!’, desabafou.

Zezé Di Camargo também foi criticado por ‘estar concedendo muitas entrevistas’. Ora, o sertanejo é um dos maiores expoentes de seu segmento musical e ídolo de Marília Mendonça, por quem a cantora tinha declarada admiração e respeito. Natural que ele fosse requisitado para falar sobre ela, não?

E a ação implacável e desumana dos ‘Fiscais de luto’ se estendeu até a tarde de domingo. Durante as homenagens feitas à Marília por artistas que se reuniram no Domingão do Huck, a cantora Naiara Azevedo foi criticada por estar, segundo eles, ‘animada demais’ ao interpretar as músicas de Marília.

E esse grupo tóxico segue regulando sorrisos, lágrimas, suspiros, presenças, ausências, entrevistas, publicações… Como verdadeiros ditadores, os fiscais utilizam as redes para censurar comportamentos e depositar suas próprias expectativas sobre os ombros de quem já está carregando um peso imenso.

O luto é expressado de forma muito particular e vivido por cada indivíduo de maneira única. Não há regras ou convenções para sentir a dor incalculável de se perder alguém querido. Portanto, parem! Apenas parem.

Você usa TELEGRAM? Então entre no nosso canal e receba nossas notícias no seu celular.
Basta clicar aqui -> https://t.me/portalemoff