Fechar

EXCLUSIVO Franklin David admite já ter convites de escolas de samba do Rio e São Paulo

Apresentador assume que se sente mais seguro em desfilar depois do adiamento do Carnaval para abril

Fábia Oliveira EM OFF
Fábia OliveiraColunista do EM OFF

Por anos os desfiles das escolas de samba estiveram presentes na vida de Franklin David, seja cobrindo os bastidores como repórter ou desfilando. Em 2022, o apresentador não iria desfilar, mas com o adiamento da folia paulista e carioca, ele reavalia a decisão.  

“Eu não iria desfilar, mas agora que o carnaval foi adiado para abril, pode ser que eu consiga. Tenho convites de escolas do Rio e de São Paulo. Fiquei mais de 10 anos fazendo cobertura do carnaval e isso me rendeu boas relações com as escolas de samba”, contou

Franklin não esconde a saudade dos desfiles das escolas de samba. Ele também recorda a primeira vez que desfilou, em jornada dupla. “A minha primeira vez desfilando foi traumática. Eu tinha que conciliar o horário da transmissão de carnaval com o desfile. Era uma correria!”

Isso rendeu histórias inusitadas, como quando uma fantasia não chegou a tempo e ele precisou iniciar o desfile com partes da roupa. ” Quando tive de desfilar com metade da fantasia, não bastasse o atraso, ainda tive de escalar o carro alegórico. O guindaste que me colocaria no topo já havia passado e, por conta da transmissão, eu me atrasei. Assim, tive de escalar o carro para poder passar na Sapucaí”, explicou o apresentador.

Continua após a publicidade

Mas nem só de perrengues viveu Franklin. Segundo ele, o último carnaval em que ele esteve desfilando foi marcante, em 2018. “Foi mágico! Fui o Drácula, e era personagem principal de um dos carros da agremiação. Tinha toda uma pegada teatral, não era só ficar em cima do carro ascendendo e dançando. Foi diferente de tudo que eu já tinha feito.

O figurino rendeu vários elogios, inclusive de Monalisa Perrone, que estava fazendo a transmissão pela TV Globo. Na ocasião, foi comparado à Vlad, personagem de Ney Latorraca, na novela Vamp (1991). Já dos bastidores das coberturas, o jornalista relembra um momentos hilários, incluindo com Inês Brasil:

“Ela amassava latinhas, literalmente, quicando no chão! Uma figura! Fora que apareciam famosas sumindo com calcinhas, para gerarem polêmica e garantirem os quinze minutos de fama. Vi de tudo! Mas acho que o mais chocante foi o ‘furico’ verde. Nem sei como dizer isso – comenta aos risos – No dia seguinte, todo o trabalho de uma transmissão tinha sido resumido ao bumbum da moça. Foi triste, trágico, e de tão bizarro, virou cômico! Tanto que até hoje há memes”, pontuou David.

Para o futuro, ele já tem projetos, incluindo para o mês da folia deste ano. Mesmo com os desfiles, ele pretende viajar, além dos compromissos com seu programa ‘Aventureiros’. “Terei viagens para o Deserto do Atacama e Machu Picchu, fora os compromissos com meu programa, além dos desfiles, então a logística terá de ser bem feita. Mas sou apaixonado por carnaval e quero poder estar na avenida. É uma energia surreal, todo mundo precisa viver isso! Fora as fantasias, que me permitem fazer algo que não estou tão acostumado. Acho que é quando meu lado de ator fala mais alto”, finalizou.