ExclusivoGKay recorre após perder processo contra donos de mansão alugada em SP

A influenciadora solicitou a devolução de um depósito caução, que foi negado pela Justiça

Fábia Oliveira
Colunista do EM OFF

O processo que Géssica Kayane, a GKay, moveu contra os proprietários da mansão que alugou na Granja Julieta, zona sul de São Paulo, em 2021, ganhou mais um capítulo. Isso porque, a influenciadora recorreu da decisão da Justiça, que julgou improcedente o pedido de devolução do valor de R$ 108 mil, referentes ao depósito caução feito por ela no momento da locação e que não foi pago quando a mesma deixou o imóvel.

No pedido de recurso, a defesa de GKay voltou a alegar que a atriz precisou romper o contrato de aluguel, porque foi necessário se mudar para o Rio de Janeiro por tempo indeterminado, devido ao trabalho. Além disso, afirmaram ser fácil de comprovar a situação, uma vez que tudo foi amplamente noticiado pela mídia.

A defesa da influenciadora alegou ainda que não seria justo cobrar que Géssica Kayane negasse a oportunidade de trabalho, apenas por causa de uma “simples questão contratual”, uma vez que essa é sua fonte de sustento. A nova decisão da Justiça ainda não saiu.

O imbróglio começou depois que GKay solicitou a devolução do depósito caução, que equivale a três meses de aluguel, após romper o contrato de 15 meses com os proprietários da mansão. A influenciadora argumentou que “foi transferida por seu empregador” para a capital fluminense e que o valor pago não poderia ser retido a título de multa, como diz a lei.

Mas, a Justiça de São Paulo não entendeu bem assim, afirmando que não existiam provas de que era exigida essa mudança em caráter permanente, para que o trabalho acontecesse. Foi alegado também que o que houve foi uma proposta de mercado mais interessante econômica e profissionalmente para GKay, para prestar um serviço por período específico e curto de tempo.

Além de julgar o pedido improcedente, a Justiça determinou que a atriz pagasse 10% do valor da causa como honorários para os advogados dos proprietários do imóvel.