Fechar
festa da banana

Gusttavo Lima tem mais um show cancelado após Justiça impedir festa em cidade da Bahia

O artista receberia um cachê de R$ 704 mil para se apresentar na ‘Festa da Banana’, em Teolândia

Fábia Oliveira EM OFF
Fábia OliveiraColunista do EM OFF

A Justiça cancelou a ‘Festa da Banana’, que começaria neste sábado (4) em Teolândia, município da Bahia, após um pedido do Ministério Público (MP-BA). A programação do evento contava com shows de diversos artistas, entre eles, Gusttavo Lima, que receberia um cachê de R$ 704 mil.

No documento em que pediu o cancelamento, o MP-BA afirmou que: “não é possível que o mesmo município, que informou necessitar de ajuda e recursos para salvaguardar a sua população de catástrofe natural, mesmo vivenciando um estado de calamidade televisionado para o Brasil inteiro, anuncie, em poucos meses, a contratação de artistas com cachês incompatíveis com as dimensões, arrecadações, necessidades de primeira monta e saúde financeira do município”.

Na decisão, a Justiça também estabeleceu que, caso haja descumprimento da determinação, a prefeitura pagará multa correspondente aos valores de contrato.

Além dos R$ 704 mil para Gusttavo Lima, a prefeitura ainda pagaria R$ 80 mil para Marcinho Sensação, R$ 170 mil para Unha Pintada e mais para outros artistas. Ao todo, o festival teria 28 shows. Com as, até então, “dificuldades financeiras” da cidade, a fonte dos recursos utilizados para o pagamento dos cachês não foi informada.

Continua após a publicidade

De acordo com informações do site ‘Estadão’, o show do sertanejo teria sido contrato para agradar a prefeita da cidade, Maria Baitinga de Santana. Ao anunciar a contratação de Gusttavo Lima, ela teria dito que esse era o seu sonho. “Gente, eu sempre tive um sonho, gosto demais”, falou.

Mas, em meio a tantas polêmicas de cachês nas últimas semanas, a notícia não agradou a todos os moradores da região. Isso porque Teolândia enfrentou duas enchentes no início deste ano, onde ambas destruíram estradas e deixaram moradores desabrigados. Até hoje, a população ainda enfrenta problemas devido ao ocorrido.

Ainda segundo o ‘Estadão’, a prefeita chegou a apelar aos próprios moradores, pedindo que enviassem PIX para a conta da prefeitura, pois eles não tinham recursos para socorrer os desabrigados. Além disso, Maria Baitinga de Santana teria alegado “incapacidade financeira e comprometimento com outras áreas” para não pagar o piso salarial dos professores do município, descumprindo a lei federal que institui o salário mínimo do magistério. 

Esse não foi o primeiro show cancelado de Gusttavo Lima. Recentemente, a contratação do artista para um show em uma pequena cidade de Minas Gerais foi envolvida em discussões, após se tornar público o valor do cachê de R$ 1,2 milhão. A apresentação, que aconteceria no dia 20 de junho, foi cancelada.

Chorando, Gusttavo Lima desabafa e cita perseguição: ‘como se eu fosse criminoso’

Na noite da última segunda-feira (30), Gusttavo Lima abriu uma live para esclarecer algumas coisas relacionadas às recentes polêmicas envolvendo seu nome. O cantor conversou com os fãs e rebateu as críticas que vem recebendo. “Diante de tudo isso que está acontecendo, muitas inverdades sobre meu nome, sobre minha carreira. Vocês sabem da minha índole, do meu caráter. Quando a gente mexe com honra e caráter, tem pessoas por trás, então queria que vocês tivessem mais cuidado”, pediu ele.

O sertanejo aproveitou para ressaltar que jamais se beneficiou de qualquer dinheiro público de forma ilegal: “Nunca me beneficiei sobre dinheiro público, empréstimo, ou algo do tipo. Minha vida foi sempre trabalhar. Em 2019 fiz quase 300 shows. Temos uma equipe gigantesca. Não compactuo com dinheiro público. Pago todos os meus impostos em dia”, garantiu.

Gusttavo citou também que não mudará o valor de seu cachê pelo fato de o contratante ser um órgão público: “Sobre shows de prefeituras, acho que todos os artistas já fizeram ou fazem shows de prefeituras. É sobre valorizar nossa arte. Se o que a gente tem é nossa música, nossa voz, a gente ganha dinheiro com isso”, disse.

Ele falou sobre ser invejado e por isso vem sendo alvo de perseguição. “Nunca pensei que ser bem-sucedido no Brasil traria tanta inveja, tanta coisa ruim. Às vezes dá vontade de sumir pra ver se essa perseguição acaba. Vocês podem ter certeza que sou um cara 100% correto, 100% honesto nas minhas coisas”, jurou.

Por fim, Gusttavo Lima reforçou que não é um criminoso e que não tem qualquer ligação com dinheiro público: “Penso que estou aguentando de tanta gente me batendo, me esculhambando, como se eu fosse um filho da *, como se eu fosse um criminoso. Um cara que trabalha pra cara, que trabalha muito. […] Aqui não existe coisa errada. Aqui existe apenas um lema: trabalho, trabalho, trabalho. Tudo que conquistei saiu daqui [da voz]. Sobre dinheiro público, não tenho nenhuma ligação. Não quero dinheiro do povo. Eu cumpro com a lei”.