Fechar

EXCLUSIVO Homem vai à Justiça contra Galvão Bueno após cair em golpe

Empresa acusada de golpe usava a imagem do narrador esportivo em sua campanha publicitária

Fábia Oliveira EM OFF
Fábia OliveiraColunista do EM OFF

Galvão Bueno figura como réu em uma ação judicial, na qual um rapaz chamado Thiago Oliveira Macedo pede danos morais e materiais, sob a alegação de que caiu em um golpe em que a imagem do narrador da TV Globo estava envolvida.

O autor do processo afirma que procurou a empresa ‘Empresarial Score’, que também é ré nesta mesma briga judicial, para aumentar seu score no mercado de crédito e assim tentar melhorar suas condições de financiamentos em diversas áreas.

Para tanto, a Empresarial Score cobrou alguns valores, que Thiago foi pagando a medida que via que seu score não estava aumentando, conforme promessa da empresa. Ao todo, ele realizou sete transferências via PIX, que juntas somam o montante de R$ 9,2 mil de prejuízo.

E após perceber que foi vítima de um golpe, Thiago entrou com a ação também contra Galvão Bueno, pois afirma que a imagem do apresentador na campanha publicitária da empresa foi crucial para que ele confiasse na contratação do serviço oferecido sem imaginar que cairia em um golpe que lhe causou uma grande prejuízo financeiro, uma vez que está desempregado no momento.

Continua após a publicidade

Thiago Oliveira Macedo então pediu indenização dos réus por danos materiais no valor de R$ 9,2 mil, além de danos morais no valor de R$ 24,2 mil. O valor total da causa é de R$ 33,5 mil. No último dia 12 de abril, o juízo designou a data da primeira audiência de conciliação entre as partes para o dia 7 de junho deste ano.

Apresentador já teve contas bloqueadas

No ano passado, esta colunista divulgou, com exclusividade, que Galvão Bueno teve suas contas bloqueadas judicialmente, depois de reconhecer um débito de mais de R$ 1,3 milhão junto a um credor, que foi homologado pela Justiça.

O narrador da Globo foi avalista na aquisição de um crédito em nome de sua empresa, a Virtual Promoções Participações. O pedido de bloqueio das contas bancárias de Galvão foi deferido pelo juiz Rodrigo Galvão Medina, da 9ª Vara Civil de São Paulo, após a não realização do pagamento de duas parcelas junto à empresa Leste Credit (Fundo de Investimento), que foram acordadas previamente entre as partes envolvidas com um desconto de cerca de R$ 421 mil.

O credor então pediu à Justiça a penhora de valores das contas do apresentador esportivo e de seus familiares, que também assinaram como avalistas na aquisição do crédito. A solicitação do bloqueio foi necessária para garantir o pagamento do débito, cujo valor em aberto estaria em cerca de R$ 760 mil.

Mas foram encontrados nas contas de Galvão cerca de R$ 1,4 mil, valor que chegou a ser bloqueado. Já em nome de Desirée, mulher do narrador, foram bloqueados cerca de R$ 90 mil. Houve, também um bloqueio de R$ 26, que foram encontrados nas contas da empresa Virtual Promoções e Participações Eireli e ainda foram encontrados R$ 4,3 mil nas contas em nome da filha de Galvão, Letícia.

Em nota, a assessoria de imprensa de Galvão Bueno lamentou o ocorrido.

“A assessoria de imprensa de Galvão Bueno reforça que golpistas se utilizaram de imagens não autorizadas, feitas para uma campanha da empresa Serasa em 2020, para aplicar golpes em pessoas que almejam aumentar seu score no mercado de crédito.
O departamento jurídico do narrador, que também foi vítima, assim como outras empresas lesadas, já tomou as medidas cabíveis e, inclusive, retirou um site do ar, porém os golpistas continuam criando outras empresas para tal.
Galvão Bueno lamenta o ocorrido, e deixa o alerta às pessoas para ficarem atentas a qualquer tentativa deste tipo de golpe por sites, WhatsApp ou qualquer outra rede social.
O link da campanha original feita em 2020 para empresa Serasa pode ser acessado abaixo”