Fechar
LGBTfobia

Jão diz que discurso de Bruna Karla é criminoso: “Passível de processo”

O cantor foi mais um famoso que rebateu a fala LGBTfóbica da cantora gospel em um podcast

Fábia Oliveira EM OFF
Fábia OliveiraColunista do EM OFF


Vários famosos, como Valesca Popozuda, Gil do Vigor, Carlinhos Maia se manifestaram contra o discurso LGBTfóbico da cantora gospel Bruna Karla em um podcast. Na tarde desta quinta-feira(16) foi a vez do cantor pop Jão, assumidamente bissexual, rebater a fala da religiosa sobre não ir a casamentos homoafetivos.

“O discurso dessa cantora gospel em um podcast é muito criminoso. não dá pra ficar no “ah, é só ignorar, é a religião dela…”, porque essa fala enlouquece e mata muita gente que começa a se odiar. é uma homofobia escancarada e deveria ser passível de processo”, escreveu no Twitter o astro, que venceu o Troféu Imprensa e o Troféu Internet 2022 na categoria melhor cantor.

A opinião de Bruna Karla sobre o casamento gay teve uma repercussão extremamente negativa, na noite desta quarta-feira (16), e a cantora gospel acabou sendo massacrada na internet ao expor que disse a um amigo gay que iria ao casamento dele somente se ele subisse ao altar com uma mulher. Pois bem.

Depois de ser acusada de homofobia, Bruna Karla procurou o amigo, que até então ela não havia citado o nome em sua polêmica declaração, mas esta coluna já tinha antecipado que era o youtuber Bruno Di Simone, que atualmente namora o ex-pastor Felipe Heiderich.

Continua após a publicidade

Esta colunista teve acesso aos áudios que Bruna enviou ao Bruno, na tentativa de se justificar. E por incrível que pareça, mesmo após a forma como se referiu ao influenciador em entrevista ao podcast de Karina Bacchi, Bruna ainda teve a coragem de chamar o rapaz de ‘amigo’ e de dizer que a homossexualidade dele foi uma ‘escolha’.

“Oi, amigo. Tô te mandando essa mensagem, porque dei essa entrevista há um tempo atrás, nem foi agora. E em momento algum eu quis expor a nossa amizade. Na verdade eu nem falei seu nome. Eu quero te dizer, Bruno, que eu sempre te amei e sempre vou continuar te amando muito. Você é meu amigo e nas amizades a gente sempre respeita as escolhas e a vida de cada um”, começou ela.

Em seguida, tentou explicar sua polêmica declaração: “O que foi falado ali, amigo, foi a questão de concordar, se eu concordo. E eu conversei isso com você, com toda paz do meu coração. E te digo mais uma vez: o dia que eu concordar, realmente eu não vou viver mais a palavra de Deus que eu acredito”, afirmou Bruna Karla, que ainda negou ser homofóbica.

Em sua entrevista à Karina Bacchi, Bruna Karla disse o seguinte: “Teve um amigo que me perguntou: ‘Bruna, quando eu me casar você vai no meu casamento?’ e eu olhei para ele, fui bem sincera e disse: ‘Ah, quando você se casar com uma mulher linda e cheia do poder de Deus, eu vou sim’. Estou falando de um amigo, homossexual, que a gente tem essa liberdade, e eu falei que o dia que eu aceitar cantar em um casamento com outro homem, eu posso parar de cantar sobre a bíblia e sobre Jesus“, disse.

Bruno chegou a procurar Karina para pedir o direito de resposta, mas não teve retorno. “Tanto no WhatsApp da própria Karina, quanto da sua assessoria, e também por e-mail, mas elas se recusaram a dar o direito de resposta. Eu já esperava por isso, pois, quando meu marido também pediu esse direito, depois de ter feito tão graves acusações, ela simplesmente bloqueou ele. Agora, será tratada na esfera judicial’, contou o youtuber à coluna.

O influenciador lamentou o episódio e se disse surpreso, pois não sabia a forma como a cantora se referia a ele para terceiros: “O que eu não fazia ideia era que ela falava assim de mim pelas costas, porque na frente o discurso era outro. Inclusive, já afirmou que estaria sim no meu casamento gay, apenas não cantaria”, destacou.