Fechar

EXCLUSIVO Jô, do Corinthians, perde ação e acaba sendo condenado pela Justiça

Jogador pedia R$ 40 mil de indenização à Panini

Fábia Oliveira EM OFF
Fábia OliveiraColunista do EM OFF

A Justiça de São Paulo julgou improcedente, em primeira instância, a ação movida pelo jogador de futebol, Jô, contra a Panini Brasil. A decisão é da juíza Renata Bittencourt Couto da Costa, da 4ª Vara Cível de Barueri, São Paulo. No processo, o atleta afirma que a empresa usou de maneira indevida sua imagem. 

À Justiça, Jô explicou que no ano de 2018 tomou conhecimento de que sua imagem e suas características pessoais foram usadas indevidamente em forma de figurinhas, em um álbum comemorativo chamado “Campeão do Mundo”, feito pela Panini.

O jogador do Corinthians pedia R$ 40 mil de indenização — sendo R$ 10 mil pelos danos morais e, R$ 30 mil por danos materiais, referentes aos lucros cessantes.

Para a juíza, o álbum comemorativo de 2016, em homenagem ao clube de futebol que ele fez parte, não fazia menção específica a ele, sem constar diretamente a imagem de Jô, já que aparece ao lado de outros jogadores na imagem.

Continua após a publicidade

“Por fim, registro ainda que a imagem do autor, como não destacada no álbum, não foi fator determinante para a venda do produto no mercado de consumo”, concluiu a magistrada.

O jogador foi condenado a pagar 10% de honorários advocatícios sobre o valor da causa. Cabe recurso da decisão.