Fechar
Racismo não!

Jogador do Corinthians é acusado de racismo

Rafael Ramos chegou a ser preso no posto policial do estádio, mas o clube paulista pagou a fiança de R$ 10 mil

Fábia Oliveira EM OFF
Fábia OliveiraColunista do EM OFF

Rafael Ramos, lateral direito do Corinthians, está sendo acusado de racismo pelo jogador Edenilson, do Internacional. Tudo aconteceu na partida de ontem entre os dois times, no estádio Beira-Rio, em Porto Alegre. Na ocasião, aos 30 minutos do segundo tempo, o volante colorado disse ter sido chamado de macaco pelo lateral e a partida chegou a ficar paralisada por cinco minutos.

Logo depois do final da partida, agentes da Polícia Civil foram aos vestiários para averiguar o caso. Edenilson resolveu prestar queixa contra Rafael Ramos, que chegou a ser preso no posto policial do estádio. O Corinthians fez o pagamento da fiança do jogador, no valor de R$ 10 mil, e ele responderá por pelo crime de injúria racial em liberdade.

Nas redes sociais, Edenilson contou que chegou a procurar Rafael para ouvir algum pedido de desculpa, que não aconteceu. Por isso, ele decidiu, então, registrar um Boletim de Ocorrência contra o português. “Boa noite, pessoal, passando aqui apenas para me pronunciar. Eu sei o que ouvi. Realmente eu não reagi provavelmente da forma que deveria, pois foi a primeira vez que isso aconteceu comigo. Me incomoda o fato de ficar chamando atenção de outra forma que não seja jogando futebol (quem me conhece sabe): ser xingado pelo tom da minha pele”, começou escrevendo o jogador do Internacional em uma postagem no Instagram.

Ele continuou: “Minha reação foi a de não paralisar a partida pois o jogo estava bom e, ao mesmo tempo, eu não queria que tomasse a proporção que tomou, justamente por nunca ter passado por isso. Eu procurei o atleta para que ele assumisse e me pedisse desculpas, afinal, todos erramos e temos o direto de admitir, no meu modo de ver as coisas, mas o mesmo continuou a dizer que eu havia entendido errado. Eu não entendi errado”, reforçou o jogador.

Continua após a publicidade

Edenilson finalizou: “O procurei pelo respeito que tenho por alguns integrantes do Corinthians e para que ele pudesse ter uma chance de se redimir, pois, independente da nossa cor, o caráter sempre falará mais alto. Enfim, peço desculpas por não estar preparado para reagir a algo deste tipo”, encerrou.

Rafael Ramos também usou as redes sociais para comentar o caso. “Há muita pouca coisa nas nossas vidas de que temos certezas absolutas. Esta é um delas. Não fui, não sou, e nunca serei racista. Graças a Deus, me educaram com plena consciência de que todos somos iguais nesta vida, com os mesmos direitos e os mesmos deveres. Por isso, com esta certeza, fui me explicar ao meu colega de profissão”, começou o lateral em uma postagem no Instagram.

Ele continuou: “Sempre me pautei por uma postura correta em toda a minha carreira, e não iria ser de outra forma agora. Que este caso tenha servido para que este tema seja novamente levantado, e que possamos todos reafirmar: Racismo não!”, finalizou.

O Internacional e o Corinthians também se pronunciaram a respeito do ocorrido. No Twitter o clube colorado escreveu: “Mais uma vez, um lamentável caso de racismo é registrado em nosso futebol. Desta vez, em nossa casa, contra um jogador do Inter. Na partida deste sábado, pelo Brasileirão, Edenilson relata ter sofrido injúria racial por parte de Rafael Ramos, atleta do Corinthians. É inadmissível que ainda ocorram fatos desse tipo em 2022, não há espaço para o racismo em nossa sociedade. O Clube do Povo reitera que repudia todo e qualquer ato de preconceito e apoia o seu atleta. #PorMaisRespeito”.

Já o Corinthians citou a versão dado por Rafael Ramos. “O Corinthians reafirma que, coerente com seus 111 anos de história, repudia e não compactua com o racismo. O atleta Rafael Ramos foi ouvido pelo clube e deu versão diferente do incidente no Beira-Rio, durante a partida contra o Internacional pelo Brasileirão 2022. Logo depois, seguro de que não proferiu injúria racial, fez questão de se explicar a Edenilson, no vestiário do Internacional. Em decorrência da denúncia feita pelo atleta colorado, a lei obriga que se trate o caso como flagrante, seguido de detenção. O pagamento de fiança não implica admissão de culpa, permitindo ao atleta que se defenda em liberdade no inquérito. Clube e atleta continuarão a colaborar com as autoridades, certos de que tudo será esclarecido o mais rapidamente possível“, disse o clube.