Fechar

EXCLUSIVO Justiça decreta prisão de Marcelo Falcão

A prisão foi decretada porque o cantor não quis pagar pensão alimentícia

Fábia Oliveira EM OFF
Fábia OliveiraColunista do EM OFF

Marcelo Falcão, ex-vocalista da banda O Rappa e que segue em carreira solo há alguns anos, teve a prisão decretada por não pagar pensão alimentícia.
Ele responde a uma ação de investigação de paternidade cumulada com alimentos que tramita desde o ano de 2008. O teste de DNA foi feito em 2016 e o resultado deu positivo para a paternidade de Ágatha.

A prisão decretada contra o ex-vocalista do grupo O Rappa é domiciliar, por conta da pandemia, e com duração de dois meses. Inclusive, a coluna também soube que um mandado de prisão já foi expedido pela Justiça. No momento, Falcão está no exterior.

Procurado, o advogado Júlio Marques Guimarães Júnior, que representa Ágatha, disse que o processo corre em segredo de Justiça, e que não poderia falar sobre o caso de sua cliente. Júlio apenas informou que “o processo se arrasta há 13 anos, ainda em primeira instância, em razão de inúmeros recursos procrastinatórios interpostos”.

A coluna também entrou em contato com José Estevam, advogado de Falcão, que emitiu a seguinte nota: “Marcelo Falcão vem cumprindo com sua obrigação exatamente como foi determinado pela Justiça, na ação revisional dos alimentos provisórios. Informa ainda que o processo está em segredo de justiça e que, portanto, não pode dar detalhes. O cantor nunca se negou a pagar pensão alimentícia, mas segue combatendo os fundamentos que deram causa à ordem, uma vez que partiu de premissa equivocada, sendo estabelecida de modo contrário ao que determina o STJ, e não se vincula à quantia que é paga mensalmente à sua filha a título de alimentos provisórios. No tocante à alegação do advogado da autora apresentada nesta coluna, cabe dizer que o processo se arrasta há tempos, primeiro porque ficou paralisado para restauração por 02 anos, a pedido do próprio patrono da demandante por extravio dos autos, e segundo para realização da instrução processual. Informa ainda que o manejo de recursos ao Tribunal de Justiça foi necessário para equilibrar as decisões. Por fim, o cantor lamenta que um processo em segredo de justiça seja utilizado com o único fim de tentar prejudicar sua carreira”.

Continua após a publicidade

Você usa TELEGRAM? Então entre no nosso canal e receba nossas notícias no seu celular.
Basta clicar aqui -> https://t.me/portalemoff