Fechar

EXCLUSIVO Justiça determina penhora de parte do faturamento da Audiomix

Medida foi necessária para quitar dívida de investidores da dupla Cleber e Cauan, que é agenciada pela Audiomix

Fábia Oliveira EM OFF
Fábia OliveiraColunista do EM OFF

A Justiça determinou a penhora de 5% do faturamento líquido da Audiomix, empresa comandada pelo empresário Marcos Araújo, que está por trás da carreira de artistas musicais como Kevinho, Bruno e Marrone, Matheus e Kauan, Simone e Simaria, entre outros.

De acordo com a sentença publicada nesta quinta-feira (2), a penhora será mantida até que seja quitada uma dívida de investidores, que possuem cota de 20% nos lucros da dupla Cleber e Cauan, também agenciados pela Audiomix.

Os investidores afirmaram que, embora não tivessem uma relação propriamente jurídica com a Audiomix, teriam formalizado um documento particular para constituir uma sociedade com a C & C Produções e Show Ltda, Cléber Márcio de Souza e Charlles Rodrigues Máximo (Cauan). Nesse contrato, havia uma cláusula que previa que os empresários receberiam 20% dos lucros decorrentes obtidos pela sociedade.

Em resumo, a Audiomix é a responsável por agenciar a carreira da dupla Cleber e Cauan, e os sertanejos tinham um contrato com os investidores, que prevê a participação deles nos lucros da dupla.

Continua após a publicidade

No entanto, a própria dupla parou de repassar os 20% de lucro aos investidores com quem haviam constituído uma sociedade. Desta forma, os sócios investidores entraram com o processo em busca de receber o que lhes é de direito.

O percentual de 5% que foi penhorado visa garantir o pagamento sem, contudo, comprometer o exercício da empresa e seu funcionamento.
A Audiomix tem, portanto, o prazo de 15 dias para apresentar a forma como a quantia será depositada, bem como o esquema de pagamento que será seguido.