deu ruim

Ludmilla se desespera após não conseguir registrar marca de seu projeto de pagode

'Quero que vocês mandem muita energia positiva' pediu a cantora aos fãs, enquanto tenta resolver o problema

Fábia Oliveira
Colunista do EM OFF

Ludmilla fez um desabafo para os fãs e contou que está tentando, mas por enquanto sem sucesso, registrar a marca ‘Numanice’, nome de seu primeiro projeto de pagode. O segundo EP da cantora foi lançado em 2020 com o nome ‘Numanice’ e, atualmente, a cantora vem realizando shows que levam o mesmo título.

No entanto, Ludmilla descobriu que a marca já havia sido registrada no INPI (Instituto Nacional de Propriedade Industrial) por outra pessoa e, desde então, tenta negociar para não precisar trocar toda a identidade de seu trabalho audiovisual.

“Ô gente, corre aqui que eu tenho uma fofoca pra vocês. Nosso culto Numanice tá ameaçado! Me contaram aqui que outra pessoa registrou a marca ‘Numanice’. Já tô correndo aqui pra resolver com a minha equipe, mas quero que vocês mandem muita energia positiva. A nossa pregação não pode acabar”, pediu a cantora.

Em seguida, Lud aproveitou para fazer uma brincadeira com a situação e convidou a todos que quisessem participar do ‘NumaRaiva’. “Lista de convidados pro próximo Numaraiva: se você quer ir, deixe aqui seu nome”, pediu.

A marca já registrada junto ao INPI também é do meio artístico e tem uma leve diferença na grafia: ‘Numa Nyce’. Como Ludmilla não detém os direitos sobre a marca, seu trabalho no pagode vem sendo comercializado e veiculado na mídia ilegalmente.

Mas segundo a cantora, o detentor do ‘Numa Nyce’ não quer briga: “O dono da marca, tá de boa. Enfim, em breve espero voltar com boas noticias. O nosso pagodinho já virou religião!. […] Vai dar tudo certo meu povooo, fé no pai”, completou Ludmilla.

O mesmo aconteceu com Maiara e Maraísa e a marca ‘Patroas’, projeto musical das gêmeas em parceria com saudosa Marília Mendonça. As duas foram processadas por usar a marca, que também é do segmento artístico, de forma ilegal, tendo obtido lucros através da mesma. As irmãs, no entanto, encontraram uma saída: editaram o nome para ‘Festa das Patroas’.