Fechar

EXCLUSIVO Luísa Sonza pede condenação de mulher que a acusou de injúria racial

​Uma audiência entre as partes foi agendada para o dia 08 de junho

Fábia Oliveira EM OFF
Fábia OliveiraColunista do EM OFF

Luísa Sonza apresentou sua contestação no processo que a advogada Isabel Macedo de Jesus moveu contra ela por injúria racial. Assim como na época em que o caso se tornou público, a cantora continuou negando todas as acusações de Isabel.

O advogado da artista, José Estevam Macedo Lima, sustenta a incompetência do local onde a ação foi ajuizada pois, na prática, Luísa não teria sido contratada para se apresentar na Pousada Zé Maria, conforme aponta Isabel. A cantora, segundo o advogado, estava no local e foi solicitado a ela, pelos fãs, que acompanhasse o cantor que se apresentava em um de seus números. Dessa forma, a ação deveria ter sido ajuizada no foro do domicílio da da artista.

Já sobre a acusação, a defesa da funkeira afirma que a narrativa de Isabel é mentirosa do início ao fim, e ainda aponta uma contradição nas alegações dela. Isabel diz que Luísa estava no palco e que ela estaria sentada em uma mesa próxima a ela. No entanto, se Luísa estava performando no palco, não teria como ter abordado Isabel no momento em que mesma alega ter ido ao banheiro. Luísa Sonza jura que sequer tocou em Isabel` e não lhe deu ordem ou lhe fez qualquer pedido.

O advogado de Sonza ainda sustenta que Isabel não teria apresentado qualquer prova que respaldasse toda a sua narrativa e pede que ela seja condenada ao pagamento de multa por litigância de má-fé (visto que teria inventado todos os fatos) e que seja condenada ao pagamento de honorários advocatícios.

Continua após a publicidade

Uma audiência entre as partes foi agendada para o dia 08 de junho de 2022, tendo sido confirmada a presença do advogado de Luísa Sonza e de testemunhas por ele arroladas no processo. A presença de Luísa Sonza na audiência ainda é uma incógnita, uma vez que ela não foi intimada a depor.

A acusação

Isabel Macedo de Jesus alega que o imbróglio teve início após ela passar por Luísa Sonza, no momento em que ia ao banheiro de uma pousada, em Fernando de Noronha, e teria sido agredida pela cantora com um tapa no braço. Além disso, ela diz que, em tom ríspido, Luísa teria exigido que ela providenciasse um copo de água para ela.

Surpresa com o ocorrido, advogada alega ter explicado que não era uma funcionária do local, mas sim uma cliente. Momento esse no qual Luísa teria perguntado se a mesma não seria uma funcionária da casa, como se uma mulher negra não pudesse frequentar um restaurante de tamanha qualidade.

Quando perguntada sobre o motivo de ter confundido Isabel com uma funcionária – já que todos os funcionários estavam uniformizados, sendo fácil distingui-los dos clientes – Sonza teria se esquivado. A autora da ação afirma ainda que, nesse momento, Luísa Sonza provavelmente notou que havia feito um julgamento muito preconceituoso.