Fechar

EXCLUSIVO Na Bahia, Gabigol e famosos são extorquidos e passam perrengues

Artistas que estão no Réveillon Mil Sorrisos estão com problemas para se locomover na cidade

Fábia Oliveira EM OFF
Fábia OliveiraColunista do EM OFF

O famoso Réveillon Mil Sorrisos, em Barra Grande, na Bahia, tem deixado a desejar com os famosos que escolheram o local como destino do pré-Réveillon. Fontes da coluna que estão por lá contaram que está um verdadeiro caos, por conta da desorganização do evento.

A principal queixa é em relação ao transporte, já que o local onde os shows acontecem fica bem distante dos hotéis e, para piorar, as opções para se locomover na região são escassas. Os poucos meios de transporte particulares que funcionam na cidade estão cobrando valores exorbitantes aos passageiros.

“O transporte da cidade simplesmente resolve cobrar R$ 200, R$ 300 para levar as pessoas ao evento e, na volta, cobram o que querem. Uma extorsão, uma vergonha. Cheguei domingo e já gastei R$ 800 de moto. Qualquer trecho estão cobrando entre R$ 80 e R$ 100, sendo que uma corrida dessa custa R$ 10, no máximo. As pessoas não têm o que fazer e acabam pagando, porque não existe um transporte oficial do evento”, desabafa uma fonte ouvida pela coluna.

Famosos como Gabigol, Felipe Prior, Giullia Buscacio, Lary Bottino, Kerline Cardoso, João Guilherme, entre outros, estão passando perrengue para se locomover e, para tentar sair um pouco menos no prejuízo, tiveram que alugar quadriciclos, já que o transporte local está uma verdadeira extorsão.

Continua após a publicidade

Outro problema enfrentado é em relação às condições em que a cidade se encontra após as chuvas. “Depois das chuvas, zero cuidado com o público. A cidade está cheia de lama. Estamos atolados em lama e pagando uma fortuna para se locomover”, reclamou a fonte.