saudades

‘Não haveria uma Claudia Raia sem o Jô’, diz a atriz ao homenagear o apresentador

A artista, que namorou o humorista no começo dos anos 80, lamentou a morte

Fábia Oliveira
Colunista do EM OFF

Claudia Raia foi mais uma artista que usou as redes sociais, nesta sexta-feira (5), para homenagear Jô Soares. A atriz, que namorou o apresentador no começo dos anos 80, lamentou a morte e contou que foi ele quem a batizou artisticamente como Cláudia Raia. Além disso, ela relembrou um momento em que o humorista salvou a sua vida.

“Receber a notícia da morte do Jô foi um choque para mim. Sabe aquelas pessoas que a gente acha que estarão sempre aqui, que são eternas? Jô era uma dessas pessoas para mim. Meu pai, meu amor, meu amigo, meu conselheiro… Ele representava tanta coisa para mim! Seu jeito de encarar a vida, de olhar e reparar em quem estava diante dele sempre me inspirou”, começou escrevendo a atriz.

Cláudia Raia continuou: “Atenção genuína e o nosso tempo são das coisas mais preciosas que podemos dar a alguém. Jô era especialista nisso. Um ser humano inspirador, genial, talentoso e sempre disponível. Uma pessoa que fazia questão de exaltar os outros, de incentivar, de dar a mão e levar pelo braço quem quer que fosse. Pode reparar em suas entrevistas: muitas vezes, ele segurava na mão do entrevistado para tranquilizá-lo. Era esse o nível de cuidado com o outro que ele tinha”, falou.

A atriz relembrou alguns momentos marcantes ao lado do apresentador. “Conhecer o Jô foi um divisor de águas na minha vida: antes dele eu era Maria Claudia Motta Raia; depois dele, eu passei a ser Claudia Raia. Sim, foi ele quem me batizou artisticamente, e isso já diz tudo. Não haveria hoje uma Claudia Raia sem o Jô. Seja porque ele me deu o nome artístico, me deu a primeira oportunidade na TV e porque salvou a minha vida, quando me pegou pela mão e me levou ao médico depois de ver uma pinta na minha perna. Lá descobri que era um melanoma. Ele salvou mesmo a minha vida”, contou.

Ela terminou lamentando a perda e afirmando já estar com saudades. “Me acalma saber que sempre o celebrei em vida. Sempre disse a ele o quanto a amava, o quanto ele era, e continuará sendo, importante para mim, na minha trajetória. Hoje, no lugar das gargalhadas que sempre demos juntos, sinto um vazio enorme. Mas o que perdurará não será a tristeza pela sua partida: será a saudade e as memórias tão preciosas que cultivamos. Seu legado será eterno, Jô. Já estou com saudade. Te amo para sempre”, finalizou.

Jô Soares morreu na madrugada desta sexta-feira (5), em São Paulo, aos 84 anos. Ele estava internado desde o dia 28 de julho no Hospital Sírio Libanês. A causa da morte, no entanto, não foi divulgada. A nota de falecimento divulgada pelo hospital informa que o falecimento aconteceu às 2h20.