Exclusivo‘Não podemos pressioná-la’, diz Adriane Bonato sobre orientação sexual de Claudia Rodrigues

Empresária explica que atriz está passando pelo processo da descoberta de sua homossexualidade

Fábia Oliveira
Colunista do EM OFF

Claudia Rodrigues surpreendeu a todos ao afirmar que não se considera lésbica ou bissexual, após assumir um relacionamento publicamente com sua ex-empresária, Adriane Bonato. A atriz diz ser heterossexual e que “só gosta da Adriane”. Para a empresária, o processo de autoaceitação de Claudia em relação a sua sexualidade deverá acontecer sem pressão para que ela se coloque um rótulo.

“A Claudinha não se rótula porque é um processo, tudo é um processo. Nada diferente do que milhões de pessoas que descobrem o seu grande amor numa pessoa do mesmo sexo. Acho que ela merece viver este processo para se conhecer melhor e no final entender o que está dentro dela. O que não podemos fazer é pressioná-lá, e sim aguardar para ela se entender e descobrir o que realmente a levou a se apaixonar por mim”, opinou Bonato.

Em recente entrevista, Claudia Rodrigues disse que Adriane Bonato é sua primeira e será a única relação homoafetiva: “Só com a Adriane, é a primeira e única vez. E só isso. Olha, eu não gosto de mulher, não gosto mesmo”, declarou a atriz ao site Notícias da TV.

A artista ainda fez questão de afirmar que não se inclui como membro da comunidade LGBTQIA+: “Só gosto da Adriane”, garantiu ela. Adriane Bonato explicou que, apesar de ser mulher, Claudia a enxerga como um homem na relação das duas: “É difícil. Ela é mulher e gosta de uma mulher, mas ela me enxerga como um homem”, disse a empresária.

Bonato ainda detalhou uma conversa sobre o assunto que teve com a amada: “Eu pedi para ela me explicar. Ela disse: ‘Ué, com você eu tenho a segurança que eu teria com um homem, eu tenho carinho, sou bem tratada, sou cuidada, você me dá atenção, você me entende, você conversa'”, conta a empresária.

Claudia citou os momentos difíceis que enfrentou e viu Adriane ao seu lado dando todo o suporte necessário: “Quando precisei, você até me pegou no colo. Quando precisei, você me deu banho. São coisas que eu nunca tive em relacionamentos anteriores, entendeu? Eu nunca tive um relacionamento com um homem como eu tenho com você”, argumentou a atriz para a namorada.

Há quase um mês, Claudia Rodrigues expôs publicamente o pedido de casamento que fez a Adriane Bonato. A empresária, no entanto, não aceitou o convite, mas sugeriu que as duas começassem aos poucos, primeiro namorando, para depois noivar e, por fim, se casar.

Procurada pela coluna, a psicóloga Maria Rafart explicou um pouco mais sobre tudo que envolve a orientação sexual das pessoas. “Orientação sexual é por quem você é fisicamente, espiritualmente e emocionalmente atraído, baseado no sexo/gênero, em comparação com o seu próprio sexo/gênero. Neste sentido, Você pode ser heterossexual, homossexual ou bissexual, conforme se sinta atraído por pessoas de sexo diferente, do mesmo, ou ambos os sexos”.

Ela ainda cita a confusão que as pessoas costumam fazer e acabam tratando a orientação sexual como uma opção: “É muito comum que as pessoas usem o termo ‘opção sexual’ quando não compreendem uma manifestação de sexualidade não-binária (algo diferente da relação entre homem e mulher). Opção sexual não existe porque não é propriamente uma escolha – o termo científico correto é orientação sexual, ou orientação afetivo-sexual”.

Ela completa a explicação citando um estudo recente: “Até algumas décadas atrás, a Psicologia considerava que a orientação sexual fosse mais rígida, mais estanque: você seria de um jeito a vida inteira, e isto não mudaria. Contudo, os estudos mais recentes apontam para uma FLUIDEZ na orientação sexual, e é por isso que encontramos casos de pessoas que se conectam com outras de formas diferentes ao longo da vida e não pretendem colocar rótulos de bissexualidade, homossexualidade ou heterossexualidade em suas relações. Toda forma de amor é possível e deve ser reconhecida como tal – desde que seja entre pessoas adultas, livres, capazes legalmente, e com o consentimento de todos os envolvidos”.