Fechar
PEDIU DESCULPAS

No “É de Casa”, Talitha Morete afirma que caso de racismo serviu como aprendizado

Apresentadora da atração explica o episódio em que pediu para uma doceira servir os outros convidados

Fábia Oliveira EM OFF
Fábia OliveiraColunista do EM OFF

Na manhã deste sábado (18), Talitha Morete iniciou o “É de Casa” pedindo desculpa por uma atitude que teve no programa anterior. Na ocasião, a apresentadora pediu para uma convidada, Silene, uma cozinheira negra, servir cocada aos outros convidados e apresentadores.

“Queria começar pedindo desculpas a você de casa, como já fiz com a dona Silene, que convidei semana passada pra vir aqui dividir uma receita dela de uma cocada maravilhosa. Pedi pra dona Silene servir a cocada, quando na verdade eu deveria servir. Eu errei. Quero transformar esse episódio em aprendizado, serviu de aprendizado, não só pra mim, mas pra muita gente”, lamenta.

Ela também agradece ao seu colega de trabalho, Manoel Soares, que interviu para contornar a situação. “Aproveito pra agradecer ao Manoel Soares pelo cuidado com a dona Silene. É importante a gente estar num grupo diverso, que comprova como o mundo pode ser melhor quando inclui a todos. Espero e desejo que a senhora venda muita cocada”, completa.

Entenda

Continua após a publicidade

Durante o ‘É De Casa’ do último fim de semana, Talitha Morete pediu para a doceira Silene “fazer as honras da casa”, e servir os outros convidados. Em seguida, passou uma bandeja de cocadas para Dona Silene, que vende o doce no salão de beleza que Thalita frequenta no Rio de Janeiro. 

Ao receber a travessa das mãos de Talitha, a moradora da Cidade de Deus entregou um dos doces a ela. Foi então quando Manoel Soares, que é engajado na luta contra o racismo, aparentemente se incomoda com a cena e passa a servir os doces. “Vamos fazer o seguinte: eu vou ser o seu garçom e você vai me orientar para quem eu vou servir, porque você não vai servir ninguém”, explicou ele.

O comportamento de Talitha gerou um debate na internet sobre racismo estrutural, uma vez que ela, uma mulher branca, terceirizou a função a uma mulher negra, convidada da atração matinal.