Fechar

EXCLUSIVO Produtora mostra provas que equipe de Lexa sabia de show nos EUA

Contratante garante que comprou show e que escritório da cantora sabia que ela deveria se apresentar em Orlando no dia 12

Fábia Oliveira EM OFF
Fábia OliveiraColunista do EM OFF

A turnê de Lexa pelos EUA foi cancelada, mas mesmo sem ter saído do Brasil, a cantora continua sendo assunto na Flórida. Depois que a mãe e empresária da artista, Darlin Ferrattry, garantiu que não havia nenhum show marcado para o dia 12 de fevereiro, a promotora do evento em Orlando procurou a coluna. Marcella Araújo apresentou uma série de conversas, documentos e relatos que afirma serem a comprovação da existência do show.

Segundo Marcella, a apresentação foi comprada de duas empresas, a Imperium e a Sorriso Produções. O valor acordado foi US$9 mil (cerca de 48 mil reais). Metade do valor já foi pago e a outra metade seria entregue no dia do show. Ela disse que os 50% pagos estão sendo devolvidos parceladamente, mas o grande prejuízo é com os patrocinadores e público do show, que passaram a duvidar que aconteceria mesmo uma apresentação da cantora em Orlando.

“Eu quero uma coisa simples. Que ela confirme que o show foi sim vendido e que cancelou pelos motivos que ela deu. Mas ela não pode dizer que não tinha show e queimar a minha imagem aqui. Me comprometi com patrocinadores, com divulgadores e com o público”, coontou Marcella à coluna, com exclusividade.

Marcella disse que a Imperium não enviou o contrato da compra do show, o que a faz ficar ainda mais insegura: “Eu estou como mentirosa na história, estou sofrendo com isso. Tentei de todas as formas resolver isso. Comprei o show das mãos do Guilherme, da Imperium, mas ele não quer me passar o contrato. Fiz com boa fé”, garante.

Continua após a publicidade

A promotora de shows disse que começou a estranhar devido à postura de Lexa antes mesmo do cancelamento da turnê. “Achei estranho que a Lexa não tinha feito nenhum vídeo anunciando a turnê pra divulgar. Todos os artistas fazem isso. Não importa se vão tocar pra pouca gente, em fundo de churrascaria. Eles querem mostrar que vão fazer uma turnê internacional”, disse ela, revelando que o show seria para apenas 200 pessoas.

Intrigada, Marcella fez contato com um funcionário do escritório de Lexa: “Entrei em contato com o Caio Sales, responsável pela agenda de shows da Lexa. Mandei uma mensagem perguntando se estava tudo certo e ele me respondeu: ‘Confirmado’. Fiquei tranquila”, revelou a empresária, mostrando uma conversa do dia 14 de janeiro.

No print, mais um indício que o escritório que vende shows de Lexa sabia da apresentação: Caio Sales envia a carteira de motorista de Tiago Augusto Dias, para que Marcella o colocasse como motorista do carro alugado que ficaria com a delegação durante a estadia em Orlando.

Depois da confirmação do show por Caio, do envio do documento de Tiago, Caio Sales parou de responder aos contatos de Marcella. O que a deixou novamente intrigada. Segundo uma pessoa diretamente envolvida na contratação do show, a instrução para Sales parasse de responder seria dos advogados da equipe da cantora.

No último dia 24 de janeiro, Marcella fez contato com Iuri de Carvalho Abs, que também é empresário de Lexa. Ela explicou o problema que estava acontecendo e ele respondeu: “A minha sócia que tava de frente nessa questão. Vou conversar com ela, tá? Para ver essa questão”, respondeu Iuri, se referindo a Darlin.

A confirmação de Caio e Iuri Abs vão de encontro ao que Darlin, empresária de Lexa, disse à coluna, por meio de um áudio enviado por sua assessoria de imprensa. Na mensagem, Darlen Nazaré, nome verdadeiro da mãe da Sapequinha, garante que nunca existiu show em Orlando no dia 12 de fevereiro.

Mais um item apresentado pela contratante dos EUA uma arte enviada à empresa Imperium e encaminhada a ela, para a divulgação do show. Segundo Marcella, a arte foi produzida pela equipe de Lexa.

Embora na arte inicial constem os shows de Orlando no dia 12 e de Miami no dia 11, na nota em que cancela a turnê, a assessoria de Lexa diz que os shows cancelados eram entre 28 de janeiro e 6 de fevereiro. Agora, com a nova data da viagem, Orlando foi tirada da agenda e substituída por San Francisco.

Além de ser contratante do show do dia 12 de fevereiro, Marcella também tinha sido chamada para assessorar Lexa em Orlando, cuidando de todos os detalhes da estadia da cantora na cidade: passagens, casa, compras, carro e passeios: “Orlando seria a base dela durante o período da turnê. Consegui tudo para ela ficar aqui. Uma casa enorme, carro, patrocinadores para o show. Todos ficaram no prejuízo. Como em cima da hora o locatário da casa vai conseguir alugar o imóvel que tem diária de mais ou menos 500 dólares (R$2,7 mil)?”.

O show de Lexa seria para cerca de 200 pessoas, com ingressos a US$50 (R$270). A coluna permanece aberta para os envolvidos se manifestarem sobre o assunto.

Tags Relacionadas: