LAMENTOU A PERDA

Roberto Carlos lamenta morte de Jô Soares: ‘Um cara muito especial’

Apresentador morreu na madrugada desta sexta-feira (5), em São Paulo, aos 84 anos

Fábia Oliveira
Colunista do EM OFF

Roberto Carlos se pronunciou sobre a morte de Jô Soares. A pedido da nossa coluna, o Rei enviou um depoimento sobre o apresentador. Na declaração, ele fez questão de enaltecer as qualidades do humorista, que conhecia há muitos anos.

“Jô Soares, maravilhoso, um cara incrível, carinhoso e amoroso. Era uma pessoa realmente de muitas qualidades. Eu tive o privilégio de conhecer o Jô. Conheci na época da Jovem Guarda. E eu tive o privilégio de estar com ele em algumas ocasiões, como no programa dele”, começou o cantor.

Roberto falou que em cada encontro que tinha com Jô podia constatar ainda mais o quanto ele era uma pessoa extraordinária. “E cada vez, eu via que ele era um cara muito especial. Sinto muitíssimo, muito o que aconteceu. Que nosso Deus de bondade o proteja e abençoe sempre. Amém”, encerrou o artista.

Jô Soares morreu na madrugada desta sexta-feira (5), em São Paulo, aos 84 anos. Ele estava internado desde o dia 28 de julho no Hospital Sírio Libanês. A causa da morte, no entanto, não foi divulgada. A nota de falecimento divulgada pelo hospital informa que o falecimento aconteceu às 2h20.

Flavia Pedras, ex-mulher do apresentador, confirmou a morte através das redes sociais. “Faleceu há alguns minutos o ator, humorista, diretor e escritor Jô Soares. Nos deixou no hospital Sírio Libanês, em São Paulo, cercado de amor e cuidados”, disse ela.

Ainda segundo Flavia, o enterro a despedida de Jô será restrita aos familiares e amigos. “O funeral será apenas para família e amigos próximos. Assim, aqueles que através dos seus mais de 60 anos de carreira tenham se divertido com seus personagens, repetido seus bordões, sorrido com a inteligência afiada desse vocacionado comediante, celebrem, façam um brinde à sua vida”, pediu.

E seguiu elogiando o ex-marido. “A vida de um cara apaixonado pelo país aonde nasceu e escolheu viver, para tentar transformar, através do riso, num lugar melhor”, disse ela, que ainda deixou uma homenagem ao apresentador.

Viva você meu Bitiko, Bolota, Miudeza, Bichinho, Porcaria, Gorducho. Você é orgulho pra todo mundo que compartilhou de alguma forma a vida com você. Agradeço aos senhores Tempo e Espaço, por terem me dado a sorte de deixar nossas vidas se cruzarem. Obrigada pelas risadas de dar asma, por nossas casas do meu jeito, pelas viagens aos lugares mais chiques e mais mequetrefes, pela quantidade de filmes, que você achava uma sorte eu não lembrar pra ver de novo, e pela quantidade indecente de sorvete que a gente tomou assistindo. Obrigada para sempre, pelas alegrias e também pelos sofrimentos que nos causamos. Até esses nos fizeram mais e melhores Amor eterno, sua, Bitika”, finalizou Flavia.

José Eugênio Soares, nome de batismo de Jô Soares, nasceu no Rio de Janeiro, em 16 de janeiro de 1938, tendo feito sucesso como um dos maiores nomes da televisão brasileira. Em sua carreira, ele trabalhou como ator, diretor, humorista e apresentador.

Sua estreia na TV aconteceu quando ele tinha apenas 18 anos, no programa ‘Praça da Alegria’, da Rede Record. Ele trabalhou na atração por 10 anos. No currículo de Jô há uma única novela: ‘Ceará contra 007’ (1965), na qual ele interpretou o agente secreto Jaime Blond.

Sua entrada na TV Globo, onde permaneceu por muitos anos, aconteceu em 1971, no humorístico ‘Faça Humor, Não Faça Guerra’. Ganhou seu primeiro programa na emissora em 1981, o ‘Viva o Gordo’. A atração ficou no ar por seis anos. Já no SBT esteve à frente do programa ‘Jô Soares Onze e Meia’, entre 1988 e 1999. No ano seguinte, voltou para a Globo comandando o ‘Programa do Jô’, que ficou no ar por mais de 16 anos.