afastado dos palcos

Safadão detalha desespero com crise de coluna: ‘não sentia minhas pernas’

Cantor revelou que até para respirar sentia fortes dores

Fábia Oliveira
Colunista do EM OFF

Após se afastar dos palcos para tratar um grave problema de coluna, Wesley Safadão voltou a aparecer nas redes sociais, na manhã deste domingo (3), para tranquilizar os fãs sobre seu estado de saúde. O cantor afirmou que, neste momento, está bem na medida do possível, pois ainda está sofrendo com algumas dores.

“Não tem o que fazer. Não tem mágica e nem segredo. É aguardar desinflamar pra depois começar o trabalho de manipulação. Agora nem manipular eu posso porque corre o risco de agravar o problema. Na medida do possível estou bem, porque o que incomoda mesmo são as dores. Ando um pouco e os pés ficam dormente, e todo esse processo”, explicou Safadão, que revelou ainda que está bem inchado, devido ao tratamento com corticoide.

O cantor também disse que sua expectativa é retornar os palcos ainda nesta semana. “Terça ou quarta-feira vou fazer outra ressonância, onde eu vou saber se o médico vai me liberar ou não para seguir com a agenda. Tô muito confiante, fazendo tudo que é necessário e tudo que eu posso para poder voltar já essa semana. E na semana seguinte, se Deus quiser, eu já quero estar pulando em cima do palco”, espera o artista.

Ele ainda fez um resumo do desespero que enfrentou com as dores fortíssimas. “No show de Assu, era uma segunda ou terça-feira, eu travei minha coluna. Uma dor inexplicável, que só quem tem hérnia extrusa pode sentir e imaginar o que é a dor. Até para respirar dói demais. Consegui fazer o show da terça, da quarta, da quinta e na sexta-feira, em Campina Grande, o Dennis DJ estava tocando lá no São João e eu no camarim chorava com muita dor. Me desesperava, porque quando eu tentava respirar doía”, lembrou ele.

O cantor citou um tratamento com agulhas inseridas diretamente na coluna para conter a dor, que deu a ele a falsa impressão de que estava melhor. Mas o problema acabou se agravando de tal maneira que começou a provocar dormência nos membros inferiores do artista.

“Ele (médico) entrou com umas agulhas pequenas nas costas e vai direto lá no disco e faz um bloqueio na dor. Depois desse procedimento, em 85% dos casos a pessoa já fica sem dor, mas continua com o mesmo problema, só resolve a dor. Na terça-feira acordei sem dor, [pensei] ‘opa, vou tomar os cuidados, andar devagarinho, passos lentos… Quero fazer Caruaru’. Então voltei pra casa, dormi em casa, acordei, tomei meu banho, tirei uma foto [avisando] ‘hoje tem Caruaru, mas depois dessa foto eu não sentia as minhas pernas mais. E eu não tinha tido essa sensação de dormência aqui por baixo ainda”, contou.

E após um novo exame de urgência, Safadão acabou sendo vetado pelo médico de continuar subindo aos palcos. “Avisei ao médico e ele disse: ‘vem pra cá, porque esse sintoma aí é novo, tá perigoso. Vem fazer uma ressonância’. Foi quando eu vi que tinha piorado mais. Eu já estava de saída de casa para ir para Caruaru e o médico me disse: ‘você não tem condições, é perigoso você sair de casa porque pode agravar e virar irreversível'”.