ExclusivoSamantha Schmütz move queixa-crime contra ex-Zorra Total

Atriz acionou Taty Sindel após ser taxada como 'insuportável e arrogante' nos bastidores do 'Zorra'

Fábia Oliveira
Colunista do EM OFF

Samantha Schmütz ajuizou uma queixa-crime contra Taty Sindel, após sua ex-colega de elenco do extinto ‘Zorra Total’ ter dito em entrevista ao youtuber Bruno Di Simone, que ela seria “um poço de arrogância”. No decorrer do bate-papo, Taty fez uma série de comentários ofensivos à Schmütz, alegando que ela seria “muito estrelinha” e que tratava as demais pessoas com muita soberba. Disse, ainda, que Samantha abordava as pessoas sempre com muita grosseria e não respeitava os outros.

Para agravar a situação, Taty Sindel ainda teria endossado suas falas ao compartilhar as ofensas por meio de suas redes sociais. Em sua página oficial no Twitter, a ex-Zorra Total qualificou a atriz como “insuportável” e “arrogante”. O vídeo no canal de Bruno Di Simone já contabilizava, à época em que foi publicado, mais de mil visualizações, já o vídeo compartilhado no Instagram que reproduz as injúrias, teria sido compartilhado com os mais de 1,5 milhão de seguidores da Taty Sindel.

Na petição inicial, Samantha Schmütz alega que a entrevista de Taty Sindel foi suficiente para desencadear uma série de ofensas em sua conta no Instagram, gerando uma enorme repercussão em vários canais de notícias. Segundo a intérprete de Juninho Play, o comportamento de Taty Sindel não seria uma grande surpresa, visto que ela seria popularmente conhecida por criar factoides polêmicos, sempre com um objetivo claro de acumular novos seguidores e manter seu nome em evidência e em alta.

Samantha Schmütz alega que, por meio das diversas ofensas, Taty Sindel praticou contra ela o crime de injúria – artigo 140 do Código Penal – com a causa de aumento do artigo 141, §2º, do Código Penal, tendo em vista que o crime foi praticado por meio de redes sociais, razão pela qual a gravidade do mesmo foi potencializada.

Os advogados de Schmütz alegam que o crime de injúria ficou claro após Taty ter utilizado termos pejorativos e que mancham a imagem da atriz. O Ministério Público de São Paulo requereu a designação de uma audiência preliminar, a fim de alcançar a composição dos danos, tentando uma possível conciliação entre as partes.