Fechar

EXCLUSIVO Sarah Poncio desistiu da adoção de Josué. Entenda todo o imbróglio

Influenciadora devolveu o menino após pedido extrajudicial da mãe biológica, não por ordem da Justiça

Fábia Oliveira EM OFF
Fábia OliveiraColunista do EM OFF

Sim, caro leitor, Sarah Poncio e seu agora ex-marido, Jonathan Couto, chegaram a entrar com um processo na Justiça do Rio de Janeiro pedindo a guarda unilateral do pequeno Josué, de 3 anos. Na ação, o ex-casal narrou todos os detalhes de como o menino chegou à mansão da família Poncio, através da ex-babá dos filhos de Sarah, Cyntia Cyndel, tia do Josué.

Segundo o advogado de Sarah narra na inicial do processo – à qual esta coluna teve acesso graças à página Treta do Século, Cyntia foi passar férias com sua família, no Ceará, quando seu primo, Victor, e a mulher dele, Mylena (pais do Josué), a procuraram pois “lutavam, com imensa dificuldade, para suprir as necessidades do filho Davi Lorenzo (nome de batismo de Josué), que na época tinha 1 ano de idade”.

Sabendo que Cyntia tinha estabilidade financeira no Rio de Janeiro, os pais de Josué ‘imploraram’ que ela levasse o menino para o Rio e, se assim não fizesse, ele seria ‘dado para alguém das redondezas cuidar’, conforme outro trecho do documento. Cyntia então contatou Sarah e Jonathan, que se sensibilizaram com a história de Josué e permitiram que ele fosse levado à mansão dos Poncio no período em que Cyntia estivesse trabalhando.

Josué não tinha saúde básica

Continua após a publicidade

Josué chegou ao Rio e foi diagnosticado com problema de saúde e com ausência de vacinas básicas. “Ressalte-se que assim que o menino chegou ao Rio de Janeiro, foi providenciada a realização de exame de sangue, tendo sido detectada a existência de vermes, típicos daqueles que são detectados quando a criança vive em local sem saneamento básico mínimo. Além disso, o menor não havia tomado as vacinas básicas, mesmo aquelas disponíveis gratuitamente”, diz o advogado da família Poncio.

Início do processo de guarda e adoção

Inicialmente, Josué voltaria para a casa de Cyntia Cyndel, em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio, nos momentos em que ela estivesse de folga ou fora do horário de expediente como babá. No entanto, com o passar do tempo, Josué acabou se apegando aos filhos de Sarah, João e José, e as três crianças surpreenderam a todos pedindo que Josué ‘não fosse embora’. Além disso, Jonathan e Sarah também passaram a criar laços com o pequeno.

No segundo semestre deste ano, o ex-casal deu entrada no pedido de guarda unilateral do Josué, para que conseguissem matriculá-lo na escola, contratar plano de saúde, entre outras necessidades que dependem de burocracias. Os pais da criança de pronto aceitaram abrir mão da guarda e, inclusive, chegaram a assinar a documentação para que o processo tivesse início.

Entretanto, o que estava aparentemente resolvido acabou virando do avesso após Mylena, a mãe biológica, ter pedido para ver Josué uma última vez, antes que o efetivo processo de adoção tomasse prosseguimento. Entretanto, seu pedido não foi atendido pois, segundo a coluna soube, as duas pessoas que intermediavam tudo com a família Poncio (Cyntia Cyndel e o primo dela, Erlande, que vem a ser o cerimonialista da família Poncio) não teriam levado o pedido ao conhecimento de Sarah.

A desistência de Sarah

Ao se dar conta de que seu desejo de ver o filho não foi ouvido, Milena então se revoltou pediu Josué de volta. Sarah Poncio, por sua vez, apesar de não ser obrigada a devolver o menino, simplesmente o mandou de volta para a mãe.

E olha que a influenciadora tem em mãos um ‘trunfo’: o laudo de estudo psicológico de Josué, feito via entrevista por chamada de vídeo e que foi totalmente favorável a ela. O documento constatou todas as dificuldades que o menino enfrentava com a família biológica. Ou seja, quando ela disse em uma live que ‘não tinha o que fazer’, na verdade, tinha.

Sarah não precisava devolver o menino se ela não quisesse. Poderia ter resistido e lutado por ele na Justiça, levando o caso às instâncias superiores, já que Mylena sequer entrou com uma ação pedindo o filho de volta: ela apenas pediu o retorno dele extrajudicialmente. E mais! Após devolver Josué, Sarah sequer comunicou o juiz do processo que ela mesma deu entrada.

Acordo com a mãe biológica

No fim das contas, para ninguém sair prejudicado, Sarah sugeriu um acordo à mãe biológica do Josué: custear a vinda dela e da família para morar no Rio para que o pequeno consiga conviver em harmonia com as duas famílias e, principalmente, para que ele e os irmãos adotivos não sintam falta um do outro. Mylena ficou de estudar a proposta.