Fechar
remake de sucesso

Seguindo o politicamente correto, diretor de ‘Pantanal’ veta nudez gratuita em novela

‘Vale a poética’, disse Walter Carvalho sobre remake

Fábia Oliveira EM OFF
Fábia OliveiraColunista do EM OFF

O diretor de ‘Pantanal’, Walter Carvalho, falou sobre as diferenças entre a atual e a primeira versão da novela, exibida em 1990, e destacou as mudanças a partir do politicamente correto. Segundo ele, não há mais espaço para ignorar as questões de de sexualidade, gênero, etnia, crença nas produções artísticas. Walter destacou ainda o motivo da “falta de nudez” na trama.

“Vivemos em uma era na qual ser politicamente incorreto se tornou inadmissível. Qualquer produção artística, portanto, deve respeitar questões de sexualidade, gênero, etnia, crença. Do contrário, fracassa. Essa é uma diferença essencial para as produções de antigamente”, falou Walter Carvalho em entrevista para a ‘Veja’.

Questionado sobre como o politicamente correto se reflete no ‘Pantanal’ de hoje, o diretor respondeu: “Não tem como fazer dramaturgia sem beijo, amor, paixão, sexo. Mas a nudez na versão de 1990 era tratada de outra forma. Em nossa trama, nenhum personagem fica sem roupa gratuitamente, como um objeto. A nudez que vale agora é a poética, aquela que faz sentido para a história”.

Ainda na entrevista para a ‘Veja’, ele atribuiu o sucesso de ‘Pantanal’ aos personagens realistas. “Um dos ingredientes que atrai público de todas as idades e classes sociais, a meu ver, é que colocamos na tela personagens realistas, nem 100% bonzinhos, nem 100% maus, como na vida. Outro ponto alto é o ritmo da trama, mais lento do que o usual”, disse ele, que completou: “Pantanal traz justamente um contraponto à pressa do mundo digital, que só nos acelera. A trama obedece ao tempo da natureza e dá às pessoas a brecha de que necessitam para contemplar, refletir sobre o que estão vendo”.

Continua após a publicidade

Walter Carvalho ainda disse que não acredita que a ‘novela’ seja um gênero em extinção. “Não vejo assim. É verdade que a audiência das novelas diminuiu no Brasil e no mundo todo, mas as pessoas ainda consomem dramaturgia, mesmo que de forma distinta da do passado. O novo público prefere assistir hoje em dia ao streaming, uns maratonando, outros aos poucos. As plataformas acabam até ajudando. Tenho uma visão otimista sobre elas.

Questionado se a troca da TV tradicional pelo streaming está nos planos do diretor, Walter foi direto na resposta: “Não. Adoro a linguagem da teledramaturgia, da televisão, e quero seguir sendo parte disso”, finalizou.

Elenco de Pantanal posa seminu nos bastidores

Por falar em nudez, recentemente, Alanis Guillen, Jesuita Barbosa, Bella Campos, Julia Dalavia, Guito, José Loreto e Leandro Lima movimentaram as redes sociais ao compartilharem alguns registros dos momentos íntimos por trás das câmeras. Os fãs, é claro, foram à loucura com os cliques divulgados.

Como no local das filmagens as temperaturas estão elevadas, os artistas têm aparecido em fotos sem camisa, as atrizes de biquíni e topless, mas sempre de costas e de forma pra lá de descontraída. Alanis Guilen e Jesuíta Barbosa, que interpretam Juma e Jove no folhetim, aparecem até pelados nas imagens.

O lindo pôr do sol local também foi palco de vários dos registros dos atores. Eles aparecem brindando e confraternizando diante do anoitecer único do Centro-Oeste brasileiro. Zé Loreto e Jesuíta, por exemplo, chegam a aparecer completamente nus em uma das fotos.

Os atores veteranos não ficaram atrás no quesito curtição. Enquanto Marcos Palmeira treinava viola, Dira Paes, Camila Morgado, e Juliano Cazarré se uniram a Julia, Bella, Loreto e Barbosa e para um banho em uma piscina de plástico.