Fechar
Mais um capítulo

‘Tentei conversar com ele umas três vezes’, diz Tereza Seiblitz sobre ação contra ex

Atriz revela que briga na Justiça contra André Gonçalves se arrasta desde 2009 e que ela chegou a procurá-lo para se entenderem

Fábia Oliveira EM OFF
Fábia OliveiraColunista do EM OFF

Tereza Seiblitz usou as redes sociais nesta segunda-feira (10) para comentar sobre a entrevista que foi ao ar na noite anterior, no programa ‘Domingo Espetacular’, da RecordTV. Ela contou sobre a briga na Justiça, que já se arrasta há 11 anos por conta de pensão alimentícia da filha Manoela com o ex, André Gonçalves. A atriz justificou ainda que estranhou a primeira entrada da matéria, editada, porque parece que ela estava reclamando da ostentação do ator em uma festa de fim de ano em Angra dos Reis.

“Não reclamei sobre isso até porque não me interessa como e onde ele passou o Réveillon. O problema maior está no vídeo de 11 minutos que o André fez dizendo que a Manoela quer prendê-lo há cinco anos. Isso é falso. O processo começou em 2009 e quando a Manu fez 18 anos teve que ficar à frente da ação para o pagamento de pensão. O resto da matéria está tudo certo e é aquilo mesmo”, explicou a hoje professora de Letras e Literatura.

Na entrevista, a atriz entregou que o ex-companheiro nunca participou da criação da herdeira. “Ele nunca foi em uma estreia, não foi em uma reunião da escola. Em algum lugar,e não sei aonde, porque só a Manuela pode saber [como isso a afeta]. Tive um pai muito presente, então não faço ideia do que é não ter um pai que esteja lá, na hora que você precisa afetivamente”, começou Tereza.

Ela confirmou o valor da dívida é R$ 109 mil e que os problemas com a pensão começaram em 2009. “Ele não pagava sempre. Pagava, parava de pagar… Eu estava contratada e não era um problema, mas começou a virar uma questão quando eu não estava mais contratada da Globo e aí ele ainda baixou a pensão”.

Continua após a publicidade

Tereza também contou que tentou conversar com André Gonçalves para tentar resolver a situação. “Tentei conversar com ele umas três vezes. Ele foi muito grosso, falou que não queria conversar e mandou um advogado direto”, lamenta Tereza, que acabou falando que achava da prisão do ex.

“A punição é importante porque move as coisas, o sujeito, e é preciso se mover. Mas, existem coisas horríveis porque afeto não se obriga. Então, esse buraco do afeto, realmente não sei. A intenção disso tudo é que ele desperte, se retrate com as filhas e que tenha outra postura”, finalizou Tereza Seiblitz.

Post de Tereza Seiblitz/Reprodução

Você usa TELEGRAM? Então entre no nosso canal e receba nossas notícias no seu celular.
Basta clicar aqui -> https://t.me/portalemoff