Fechar
Mais uma derrota

Virgínia Fonseca tem benefício de Justiça gratuita negado

Juiz alega que a influenciadora tem um alto padrão de vida e vai ter mesmo que pagar despesas processuais e os honorários dos advogados

Fábia Oliveira EM OFF
Fábia OliveiraColunista do EM OFF

O processo trabalhista que a influenciadora Virgínia Fonseca move contra seu ex-patrão e ex-namorado, o também influenciador Rezende, acaba de ganhar um novo capítulo. Na ação, a mãe de Maria Alice pede anulação da multa contratual por ter saído antes do término do contrato, além do reconhecimento de vínculo empregatício para ter seus direitos trabalhistas assegurados após a rescisão.

Em decisão recente, o juiz Ronaldo Piazzalunga negou o pedido da influencer de Justiça gratuita. Para o magistrado, a solicitação chega a ‘beirar a má-fé’, uma vez que Virgínia é figura pública e costuma ostentar diariamente um alto padrão de vida em suas redes sociais.

“Se reiterado, deverá observar aferição respectiva da renda da parte por este juízo, inclusive para aferição de haver ou não má-fé”, diz trecho da decisão.

Virgínia ainda travava recentemente outra batalha contra Rezende, em ação movida contra ela pela ADR Agência, da qual o influencer é sócio. Esta outra ação, que teve início por conta do rompimento do contrato da parte dela, terminou em um acordo judicial milionário. Virgínia terá que indenizar o ex em R$ 2 milhões devido à quebra contratual. O valor integral da multa contratual seria de R$ 4 milhões.

Continua após a publicidade