Fechar
nova carreira musical

Viúvo de Paulinha Abelha lançará música em homenagem à cantora

Clevinho Santos iniciará sua carreira musical e estreia acontecerá neste domingo (1)

Fábia Oliveira EM OFF
Fábia OliveiraColunista do EM OFF

Clevinho Santos, viúvo da cantora Paulinha Abelha, iniciará a sua carreira musical e lançará sua primeira canção no programa ‘Domingo Espetacular’ da ‘Record TV’, no próximo dia 01/05. A música de estreia será justamente uma feita, junto com parcerios, em homenagem à esposa que faleceu no começo deste ano.

“A letra dela mexe muito comigo e tenho certeza que vai mexer muito com os fãs também, porque é uma música que fala muito da minha história com ela”, disse o cantor. 

Ele ainda contou como planejou este projeto com Paulinha, que traz muitas lembranças: “O palco me coloca próximo dela. A música me deixa próximo dela. Dançar também me deixava muito próximo dela. Mas o cantar me traz ela mais próximo de mim, mais próximo de mim ainda”, falou Clevinho.

Paulinha Abelha morreu no dia 23 de fevereiro, em Aracajú, no estado de Sergipe, aos 43 anos, após duas semanas de internação. Ela começou a passar mal ainda em São Paulo, após turnê com a banda Calcinha Preta, e precisou ser internada no dia 11 de fevereiro.

Continua após a publicidade

Laudo definitivo com causa da morte de Paulinha Abelha é divulgado

No final de março, Wanderson dos Santos Nascimento, advogado da banda Calcinha Preta e de Clevinho Santos enviou para o site ‘Quem’ o laudo definitivo da causa da morte da cantora.

Clevinho contratou uma assessoria médica para analisar todos os prontuários e laudos médicos de Paulinha, enquanto ela esteve no hospital, para chegar a um laudo definitivo sobre o que a matou. A certidão de óbito da cantora apontou quatro causas: meningoencefalite, hipertensão craniana, insuficiência renal aguda e hepatite.

De acordo com o site, no documento consta que “o óbito da paciente ocorreu devido a um processo infeccioso no Sistema Nervoso Central, conforme consta na Certidão de Óbito, e não decorrente de Intoxicação Exógena medicamentosa”.

Ainda segundo o documento, as lesões renais apresentadas pela artista não têm relação com o uso de medicamentos. Além disso, durante a internação nos hospitais Unimed SE e Primavera, não foi evidenciado a presença de conduta médica inadequada. 

“Não foi evidenciado a presença de conduta médica inadequada durante sua internação Hospitalar (Hospitais UNIMED ou Primavera). O tratamento instituído pelos citados Hospitais seguiu o protocolo específico e bibliografia médica atual, porém, houve uma rápida evolução para o óbito. Os medicamentos prescritos pela Clínica Cavallaro e durante a internação Hospitalar (Hospitais UNIMED e Primavera) não causaram lesões e/ou intoxicação na paciente, ou seja, não existe nexo causal entre os medicamentos prescritos e o evento óbito”, afirma o médico perito.