Fechar
Eita!

Alok é processado por marca de cerveja após tocar em camarote da concorrente

Empresa dona da cerveja Itaipava pede R$ 17 milhões ao artista na Justiça

Lucas CardosoRepórter do EM OFF

Parece que o clima pesou para um dos DJs mais bem sucedidos do mundo. Como consequência de sua apresentação no Camarote N1, patrocinado pela Brahma, no Carnaval da Sapucaí deste ano, Alok teve seu contrato rompido com o Grupo Petrópolis, responsável por marcas famosas como Itapaiva, Crystal e Black Princess.

De acordo com Léo Dias, colunista do Metrópoles, além do conglomerado ter rompido o contrato com Alok, a empresa também pede cerca de R$ 17 milhões ao artista e a todas as empresas envolvidas. Durante sua apresentação no Camarote N1, o DJ até chegou a retirar o logotipo da marca concorrente de sua camiseta, mas nada adiantou, já que o logotipo também estava estampada na parte traseira da camiseta.

Pelas redes sociais, Alok declarou que o Grupo Petrópolis já estava ciente de todos os compromissos e contratos com marcas concorrentes quando fecharam negócio. “Antes de fecharmos o contrato, eles já haviam sido informados que sou contratado todos os anos para me apresentar no camarote N1. Eu não posso deixar de exercer minha principal profissão, que é o show, independente de ter outra cerveja como patrocinadora”, disse Alok.

Em nota oficial, a equipe do DJ informou: “Durante toda a construção do instrumento que rege a relação entre as PARTES, foi informado à CONTRATANTE a existência de eventos e festivais onde o ANUENTE já exercia e continuaria a exercer sua principal atividade artística, que é de DJ, patrocinados por outras marcas.

Continua após a publicidade