Fechar
"GENOCIDA"

Após chamar Bolsonaro de ‘genocida’, polícia intima Felipe Neto

O youtber Felipe Neto publicou em seu Twitter que foi intimado pela Polícia do Rio de Janeiro.

Polo SagratzkiRepórter do EM OFF

Nesta segunda-feira (15), o youtuber Felipe Neto foi intimado pela Polícia Civil do Rio de Janeiro a depor em uma investigação de crime contra a “segurança nacional” por ter chamado o presidente da República Jair Bolsonaro de “genocida”.

O vereador Carlos Bolsonaro, filho do presidente, anunciou na semana passada que abriu uma noticia-crime contra o youtuber, sempre polêmico em suas declarações nas redes sociais, mas não deu nenhuma informação sobre o caso.

No Twitter, Felipe Neto escreveu: “Um carro da polícia acaba de vir na minha casa. Trouxeram intimação para que eu compareça e responda por CRIME CONTRA SEGURANÇA NACIONAL porque chamei Jair Bolsonaro de genocida. Carlos Bolsonaro foi no mesmo delegado que me indiciou por ‘corrupção de menores’. Sim, é isso mesmo”.

O youtuber também contou que se trata de uma “clara tentativa de silenciamento”, e continuou: “Minha atribuição do termo ‘genocida’ ao Presidente se dá pela sua nítida ausência de política de saúde pública no meio da pandemia, o que contribuiu diretamente para milhares de mortes de brasileiros. Uma crítica política não pode ser silenciada jamais!”.

Em entrevista ao site UOL, a Polícia Civil do Rio de Janeiro confirmou que a intimação aconteceu após a notícia-crime de Carlos Bolsonaro: A Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI) intimou Felipe Neto após o vereador Carlos Bolsonaro protocolar uma petição comunicando crime contra segurança nacional em que o presidente Jair Bolsonaro seria vítima. Após o intimado ser ouvido, o caso será encaminhado à Justiça.