Fechar
Sem trabalhar

Após internação por Covid-19, Sílvio Santos proíbe Silvia Abravanel de voltar ao SBT

Sílvio Santos proibiu filha de voltar ao trabalho depois que ela contraiu Covid-19 e ficou 11 dias hospitalizada

Aline TorresRepórter do EM OFF

Após passar 11 dias internada por conta do Covid-19, e mesmo agora curada, Sílvia Abravanel vai ter que permanecer mais um tempo em casa. Sílvio Santos proibiu a segunda filha de retornar ao trabalho no “Bom Dia & Cia” até que ela tome todas as doses do imunizante da doença.

Segundo entrevista concedida à Elba Kriss do Notícias da TV, a apresentadora ainda irá tomar a primeira dose da vacina em breve já que tem 50 anos e toma anticoagulante por já ter sofrido uma embolia pulmonar em 2017:

“Ele não quer me deixar trabalhar. Como fiquei hospitalizada, ele falou: ‘Não quero você na televisão enquanto não tomar a segunda dose'”, revelou. “Meu coração está minúsculo, menor do que a ponta do alfinete. Sinto saudade da minha família Bom Dia & Cia. Sinto saudade do público, das crianças e de estar nos lares das famílias. Faço o que amo”.

Em março, quando um funcionário da equipe do programa infantil foi diagnosticado com o coronavírus, toos os trabalhadores tiveram de ser afastados pra fazer a quarentena de duas semanas. Foi quando Silvia retornou à fazenda da família para cumprir o distanciamento social.

No entanto, a apresentadora diz que uma funcionária acabou se contaminando e a todos que ali estavam fazendo o isolamento social. A segunda filha de Sílvio Santos contou que a preocupação com as duas filhas foi maior que consigo mesma:

“Quando testei positivo [em 28 de março], eu desabei. Fiquei apavorada. Foi uma coisa assustadora”, admite. Rapidamente, o alarde psicológico passou, pois era preciso tomar conta das meninas, que também estavam com coronavírus”.

“Cuidei muito delas. Não deixava ter febre, alimentava muito bem, dava muito líquido, monitorava a saturação e a temperatura umas seis vezes por dia. Ficava diretamente com elas”, relatou na entrevista.

Silvia ainda afirma que ao se concentrar em cuidar das herdeiras, acabou deixando de dormir direito: “Acho que foi isso que deu uma queda na minha imunidade”, confessou.

O estado de saúde dela veio a piorar até que desmaiou e foi encaminhada para o hospital. Ao ser avaliada pelos médicos, Silvia teve que colocar um cateter no coração para a passagem de medicamentos: “Foi um susto para todo mundo. Você fica com medo mesmo sabendo que está bem assistida. Essa é uma doença traiçoeira, porque não é de dia a dia, é de minuto a minuto. Você está bem agora e em cinco minutos passa mal”.

“Colocaram um cateter dentro do meu coração para a medicação ir mais rápido, porque a pneumonia estava evoluindo muito. Eu já tive pneumonia e embolia; por isso, os médicos não podiam deixar o vírus evoluir”, ela lembra.

No final das contas, Sílvia saiu com algumas sequelas da doença: “Ainda sinto cansaço e estou um pouco sequelada. Tenho bastante falta de memória. Estou até engraçada, porque me comparo com a Dory, do filme Procurando Nemo [2003]”.

“Fico engraçada porque não lembro o que a pessoa falou há cinco minutos, não lembro o lugar que acabei de passar… Essa doença acomete muita coisa neurológica. Os médicos falam que é aguardar a melhora com o tempo. Não tem o que fazer”.

Veja a seguir um vídeo postado por Sílvia no seu perfil do Instagram falando sobre o processo que teve com o coronavírus:

Tem alguma foto? print? vídeo? ou áudio de alguma fofoca? envie um e-mail para contato@portalemoff.com.br sua identidade será mantida no mais absoluto sigilo